EUA chegam a acordo para manter chinesa ZTE operando

Empresa tinha sido proibida de comprar componentes no país por sete anos

A administração Trump disse aos congressistas que o governo dos Estados Unidos chegou a um acordo para colocar a empresa de telecomunicações chinesa ZTE Corp de volta aos negócios, disse hoje (25) um assessor do Congresso.

LEIA MAIS: ZTE lança smartphone que pode ser destravado com olhos, digitais ou voz

O acordo, comunicado aos funcionários no Capitólio pelo Departamento de Comércio, requer que a ZTE pague uma multa substancial, coloque autoridades dos EUA responsáveis pela conformidade dentro da empresa e mude sua equipe de gestão, afirmou o auxiliar. O Departamento de Comércio, então, suspenderia a medida que impede a ZTE de comprar produtos dos EUA.

A Casa Branca não confirmou ainda o acordo. “Nós vamos avisá-los quando tivermos um anúncio sobre isso”, disse a porta-voz Sarah Sanders.

A ZTE foi proibida de comprar componentes de tecnologia norte-americanos por sete anos por violações de sanções contra o Irã e a Coreia do Norte. A decisão do Departamento de Comércio permite que a empresa retome os negócios com empresas dos EUA, incluindo a fabricante de chips Qualcomm, que é uma fornecedora-chave da ZTE.

A notícia do acordo acontece uma semana antes de o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, visitar a China para mais uma rodada de negociações, em meio a tensões comerciais entre as duas maiores economias do mundo.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).