Fintech Creditas pede registro para ser banco

Objetivo é ganhar autonomia para poder operar produtos e serviços

A Creditas, plataforma de serviço financeiro especializada em crédito com garantia, registrou hoje (24) um pedido no Banco Central para ser uma instituição financeira. Este é o primeiro pedido do tipo depois que o Banco Central regulamentou, em abril, a atividade das fintechs de crédito.

LEIA MAIS: Fintech Creditas capta R$ 165 milhões

Segundo o fundador e presidente da Fintech Creditas, Sergio Furio, o objetivo da iniciativa é ganhar autonomia para poder operar produtos e serviços de forma independente e com custos menores. “Pretendemos lançar, por exemplo, uma linha de crédito com garantia, que vai funcionar como uma espécie de cheque especial, porém bem mais barata do que as oferecidas por bancos”, disse.

Criada em 2012, a Creditas oferece crédito tomando imóveis ou veículos como garantia, em parceria com as instituições financeiras Sorocred, Santana, CHP e Fapa.

A regulamentação do BC em abril abriu espaço para que as fintechs possam operar sem um intermediário, seja como Sociedade de Crédito Direto (SCD), realizando operações com recursos próprios, ou como Sociedades de Empréstimo entre Pessoas (SEP).

Segundo Furio, a Creditas deve liberar cerca de R$ 340 milhões neste ano, dentro do plano de tornar a companhia a maior de empréstimos com garantia na América Latina.

Em dezembro, a Creditas recebeu aporte de R$ 165 milhões liderado pelo fundo de private equity sueco Vostok, no maior investimento de 2017 no setor na América Latina.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).