Parcerias do Walmart com Uber e Lyft chegam ao fim

Evento pode comprometer as ambições da varejista de enfrentar a Amazon

As parcerias de entrega de supermercado online do Walmart com Uber e Lyft acabaram, segundo duas fontes, em um revés para as ambições do varejista de desafiar a Amazon.com com entregas rápidas de mantimentos em residências.

LEIA MAIS: Flipkart ainda não fechou acordo com Walmart

O fim dos acordos, que não foi divulgado antes, mas que foi confirmado pelo Walmart e pelo Uber, reduz a visão estabelecida das empresas de transporte por aplicativo: um serviço que pode entregar eficientemente qualquer coisa.

“É incrivelmente difícil entregar pessoas e pacotes juntos”, disse uma fonte de uma empresa de entregas que trabalha com o Walmart e tem conhecimento direto do assunto. “São dois modelos de negócios completamente diferentes.”

A decisão marca o fim abrupto de um relacionamento comercial que Walmart e Uber anunciaram com muito alarde há menos de dois anos. Na reunião de acionistas do Walmart em junho de 2016, o presidente-executivo Doug McMillon elogiou os investimentos da empresa em tecnologia e falou sobre as parcerias na frente de uma multidão de 14 mil funcionários, que o aplaudiram.

Logo depois, o serviço de entrega de mantimentos do Uber foi lançado e expandido para quatro mercados. Antes de o Uber encerrar o acordo, em março, o Walmart disse que a empresa de transporte compartilhado seria parceira para entregar mantimentos em mais de 40% do país. “Havia claramente alguma falta de comunicação lá”, disse uma das fontes com conhecimento sobre o fim das parcerias.

A porta-voz do Walmart, Molly Blakeman, confirmou o fim dos laços quando questionada pela Reuters, mas não detalhou as razões por trás da decisão. Ela disse que a varejista usará outros prestadores de serviços de entrega nos quatro mercados em que estava usando o Uber.

LEIA MAIS: Sainsbury’s compra Asda do Walmart para liderar no Reino Unido

“Os clientes não devem notar nenhuma diferença quando a transição ocorrer”, disse Blakeman, adicionando que a parceria com a Lyft nunca foi além de testes iniciais.

O executivo disse que o fim das parcerias não afetará os planos do Walmart de escalar a entrega de produtos, já que eles não estão vinculados a nenhum provedor.

O Uber informou ao Walmart em março que cessaria as operações de entrega em 30 de junho, disse a porta-voz da empresa, Ellen Cohn, à Reuters. O varejista era o maior parceiro do Uber para o serviço “Rush”, de entrega de mantimentos, roupas, flores e outros produtos.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).