Produtora de games de brasileiro anuncia novo jogo

Worlds Adrift precisou de três anos e 50 mil pessoas para ser criado

A produtora de games britânica Bossa Studios, do brasileiro Henrique Olifiers, lança hoje (17) o Worlds Adrift, um jogo de aventura ambicioso, projetado para atrair a geração Minecraft, que consumiu três anos e 50 mil jogadores para ser criado.

LEIA MAIS: Trump se encontra com produtores de games para discutir violência

A designer independente de jogos baseada em Londres está ampliando os limites técnicos, logísticos e financeiros ao contar com jogadores para construir ilhas flutuantes para seus personagens habitarem, que outros jogadores podem visitar com navios voadores. “O Worlds Adrift permite que você entre no jogo, defina seus próprios objetivos e siga da maneira que preferir”, disse Olifiers, um dos três cofundadores da empresa.

A Bossa foi criada em 2010 por designers de jogos veteranos que se concentraram em fazer games sociais para a plataforma do Facebook antes de mudarem para jogos online para computadores. A empresa é mais conhecida por “Surgeon Simulator” e “I Am Bread”, que atraíram milhões de usuários com seus movimentos realistas.

O novo jogo online para múltiplos jogadores da empresa é o primeiro a ser executado na plataforma computacional Improbable, uma outra empresa de Londres que permite a criação de enormes simulações baseadas na tecnologia de computação em nuvem, sem as quais a paisagem complexa e gerada por usuários do Worlds Adrift seria impossível. O título é muito mais sofisticado do que os criados anteriormente pela Bossa.

A produtora pretende criar a próxima grande franquia de jogos europeus, seguindo os passos de nomes familiares como Minecraft, Clash of Clans, Candy Crush e Angry Birds.

Normalmente, apenas empresas de jogos estabelecidas, com centenas de engenheiros e centenas de milhões de dólares, poderiam desenvolver jogos com a complexidade de Worlds Adrift.

LEIA MAIS: Mercado de videogames registra crescimento de US$ 1 bilhão por ano

Oito meses atrás, a Bossa Studios levantou US$ 10 milhões em financiamento em uma rodada liderada pela empresa europeia Atômico. A empresa tem 82 funcionários, mas está se expandindo rapidamente com o financiamento recente, disse Olifiers.

A Improbable, cujo sistema pode ser usado para simular digitalmente locais do mundo real não apenas para jogos, mas também para design de produtos e planejamento corporativo, recebeu um investimento de US$ 502 milhões do Vision Fund, do Softbank, há um ano.

“Ao contrário de qualquer outro jogo massively multiplayer online (MMO), suas ações realmente afetam o mundo virtual”, disse o cofundador da Improbable, Herman Narula.

Os jogadores podem construir e desenvolver ilhas cada vez mais complexas, que outros jogadores podem visitar e interagir com outros participantes do jeito que desejarem.

É um enorme universo de fantasia projetado para atrair uma geração mais jovem que quer construir jogos por conta própria.

LEIA MAIS: 6 bilionários que fizeram sua fortuna com videogames

O título é destinado a jogadores criados com o Minecraft, o segundo jogo mais vendido de todos os tempos, que fornece aos usuários materiais de construção para edifícios e aldeias. Ele atraiu um número considerável de jogadores com menos de 15 anos, embora a maioria deles tenha mais de 28 anos até agora, segundo Olifiers.

Durante o desenvolvimento do Worlds Adrift, esses jogadores criaram 10 mil ilhas, das quais 450 aparecerão quando o jogo for lançado no modo de “acesso antecipado”, o que significa que ainda está em construção e sujeito a alterações. O lançamento geral é esperado para dentro de um ano, disse Olifiers, um jornalista brasileiro de games que se tornou empresário.

O jogo (https://www.worldsadrift.com) começa a ser vendido hoje a um preço fixo de US$ 24,99.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).