Bitcoin despenca após ataque à bolsa coreana Coinrail

iStock
Queda na Coinrail causou uma perda de cerca de 30% das moedas negociadas na bolsa

A bolsa de moedas digitais sul-coreana Coinrail anunciou que sofreu um ataque hacker no final de semana, o que disparou uma queda acentuada no valor do bitcoin em meio a preocupações renovadas sobre a segurança de mercados de criptomoedas e em um momento em que autoridades globais avaliam regulamentação dessa classe de ativos.

LEIA MAIS: Entidade de criptomoedas vai ao Cade contra bancos

Em comunicado publicado hoje (11), a Coinrail afirmou que seu sistema foi atingido por uma “ciber intrusão” no domingo (10), causando uma perda de cerca de 30% das moedas negociadas na bolsa. A empresa não quantificou o valor da perda, mas o veículo de notícias sul-coreano “Yonhap” estimou que cerca de 40 bilhões de wons (US$ 37,28 milhões) em moedas digitais foram roubados.

O roubo na Coinrail, uma bolsa relativamente pequena de criptomoedas da Coreia do Sul, fez o preço do bitcoin despencar para o menor nível em dois meses.

A Coreia do Sul é um dos maiores mercados de moedas digitais do mundo e abriga uma das mais movimentadas bolsas de criptomoedas do mundo, a Bithumb.

Na Bitstamp, sediada em Luxemburgo, o bitcoin era negociado às 9h32 (horário de Brasília) a US$ 6.777, queda de cerca de 10% ante a sexta-feira (8), acumulando baixa de cerca de 65% em relação ao pico atingido em meados de dezembro.

Mais cedo neste ano, a bolsa japonesa Coincheck sofreu um ataque hacker que roubou mais de US$ 500 milhões em moedas digitais.

VEJA TAMBÉM: Buffett critica bitcoin e diz que prefere ações

Já em 2014, a bolsa japonesa Mt. Gox, que já chegou a lidar com 80% dos negócios com Bitcoin do mundo, fez pedido de recuperação judicial depois de perder Bitcoins avaliados em cerca de US$ 500 milhões. Mais recentemente, a bolsa sul-coreana de criptomoedas Youbit fechou as portas após ser atacada por hackers duas vezes.

Autoridades globais têm alertado que investidores precisam ter cautela ao negociar com moedas digitais dada a falta de regulação.

“A Coinrail não era membro de um grupo de autorregulação para melhoria da segurança. É uma empresa pequena no mercado e é possível ver como bolsas pequenas, com padrões de segurança menores, podem estar expostas a mais riscos”, disse Kim Jin-Hwa, representante da Associação da Indústria de Blockchain da Coreia.

Na Coreia do Sul, 14 grandes bolsas de criptomoedas adotaram medidas de segurança em janeiro para proteger melhor os clientes, incluindo restrições na criação de mais de uma conta.

A Coinrail disse que 70% das moedas digitais negociadas na bolsa estão agora seguras em uma “carteira fria”, que funciona sobre plataformas que não estão diretamente conectadas à internet. A empresa é local de negociação de mais de 50 criptomoedas e é a 98ª bolsa de moedas digitais, segundo a Coinmarketcap.com.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).