Microsoft vai comprar GitHub por US$ 7,5 bi

Objetivo é expandir influência entre os desenvolvedores de software

A Microsoft disse hoje (4) que vai comprar a empresa privada dona do website de codificação GitHub por US$ 7,5 bilhões, em um acordo exclusivamente em ações, para expandir sua influência entre os desenvolvedores de software.

LEIA MAIS: Microsoft e Facebook rejeitam ajudar ataques cibernéticos de governos

O acordo, que é o maior da Microsoft desde a aquisição do LinkedIn por US$ 26 bilhões em 2016, é uma grande aposta em seu negócio de nuvem, que cresce rapidamente e compete com a líder de mercado Amazon.com.

Sua plataforma de nuvem, a Azure, registrou um crescimento de 93% na receita no terceiro trimestre, encerrado em 31 de março.

“A compra da GitHub pela Microsoft pode fornecer ferramentas para os usuários desenvolverem aplicativos em sua plataforma Azure Cloud”, disse Ivan Feinseth, diretor de investimentos da Tigress Financial Partners.

O GitHub fornece ferramentas de codificação para desenvolvedores e se auto classifica como o maior hospedeiro de código do mundo, com mais de 28 milhões de desenvolvedores usando sua plataforma.

Depois do fechamento do negócio, o GitHub passará a fazer parte da unidade Intelligent Cloud da Microsoft.

LEIA MAIS: 10 frases inspiradoras de Paul Allen, cofundador da Microsoft

“A Microsoft é uma empresa que desenvolve primeiro e, ao unir forças com o GitHub, fortalecemos nosso compromisso com a liberdade, abertura e inovação dos desenvolvedores”, disse Satya Nadella, presidente-executivo da Microsoft, em comunicado.

Nat Friedman, da Microsoft, assumirá o cargo de diretor presidente da GitHub, sediada em São Francisco. O atual presidente-executivo da GitHub, Chris Wanstrath, se tornará um membro técnico da Microsoft.

A transação deve ser concluída até o final do ano.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).