Lifestyle

Google Glass balança até mundo de óculos de luxo

O Google Glass, must have de todo geek, surpreende. A expectativa, no médio a longo prazo, é que ele se popularize e modifique a forma como as pessoas utilizam a internet e compartilham informações. Há, contudo, um aspecto frágil no projeto do gigante Google: o design dos óculos. Os entendidos do universo fashion e/ou ótico definem as armações oferecidas pelo Google como caretas, um verdadeiro antiacessório de moda.

 

Ou seja, o caminho contrário traçado nos últimos anos por grifes como Bvlgari, Burbery, Chanel, Gucci, Salvatore Ferragamo, Emilio Pucci, Valentino, Chloé, Prada, Dolce & Gabbana, dentre tantas outras marcas de luxo mais autorais, desenvolvidas em pequenos ateliês de Paris, Milão, Londres e Berlim, com peças exclusivas e muitas vezes únicas.

 

A necessidade de mudança no visual do Google Glass resultou, há algumas semanas, na formação de uma parceria estratégica entre a gigante de internet e a italiana Luxottica, a maior fabricante mundial de óculos premium, luxo e esportivos. As duas empresas anunciaram que estão unindo forças para projetar, desenvolver e distribuir uma nova geração de óculos Glass.

 

A parceria passa pela combinação de desenvolvedores de alta tecnologia, estilistas e profissionais da indústria ótica. A Luxottica adiantou que duas de suas marcas do portfólio – Ray-Ban e Oakley – participarão da colaboração com o Glass. A estilista Diane Von Furstenberg, criadora do wrap dress, também tem intensificado sua proximidade com os fundadores do Google. A ideia, comenta-se, é que o Google Glass seja mais que um gadget. O desejo é que ele se transforme em um acessório de moda up-to-date com
as várias coleções do ano.

 

Quando o assunto é óculos do futuro, o Glass não é o único deste mercado, há outros projetos (alguns ainda em fase precoce de desenvolvimento) em andamento, a exemplo do ReconJet, GlassUp, Nissa 3E, Meta Spaceglass e Vuzix9. Suas lentes não servem apenas para “ver melhor”, mas também para olhar para um mundo não visível hoje, como texto, foto ou vídeos que podem ser acessados por meio do comando de voz.

 

Enquanto as novas versões do Glass não desembarcam no mercado, centenas de marcas, designers e fabricantes de óculos se reuniram na Mido, maior referência do setor ótico internacional, ocorrida em março, em Milão, onde mil expositores mostraram as principais tendências do setor. Muito do que foi mostrado lá só chegará ao Brasil no segundo semestre. Algumas peças, no entanto, desembarcam no país no final do mês. Outras não virão, mas poderão ser compradas no exterior ou usadas como referência para entender o que será in ou out.

Topo