Lifestyle

Dieta com carne faz mal para o meio ambiente, afirmam pesquisadores

Cientistas britânicos querem que as pessoas troquem hambúrgueres e filés por uma dieta rica em vegetais. Mas eles não estão preocupados com a saúde de cada um. O motivo real? Prevenir as mudanças climáticas.

Pesquisadores das universidades de Aberdeen e Cambridge realizaram um estudo conjunto que explorou o que aconteceria se o mundo continuasse a adotar uma dieta de estilo ocidental em torno do consumo excessivo de alimentos, especialmente carne e produtos lácteos. Eles descobriram que, se continuar assim, metas internacionais sobre emissões de gases do efeito estufa seriam esmagadas pela indústria alimentar.

Se a população do mundo aumentar para 10 bilhões e as indústrias continuarem como são, a quantidade de terra entregue ao cultivo aumentaria 42% até 2050. Ao mesmo tempo, o uso de fertilizantes deve crescer 45% no mesmo período. Isso poderia dizimar ambientes mais frágeis, destruindo 10% das florestas tropicais restantes.

O desmatamento combinado ao metano emitido pelo gado causaria um aumento na quantidade de gases de quase 80%. “Este não é um argumento vegetariano radical. É um argumento a respeito de comer carne em quantidades sensatas como parte de dietas saudáveis e equilibradas”, disse o professor Keith Richards, da Universidade de Cambridge.

A solução proposta é reduzir a alimentação para uma dieta equilibrada e comer porções de 85g de carne vermelha e cinco ovos por semana, bem como uma porção de aves por dia. A sociedade deve também reduzir seu desperdício de alimentos em 50%.

 

Topo