Lifestyle

Maior escultura aquática do mundo é também um recife artificial

No fundo do oceano, com de 17 metros de altura, está a escultura de uma menina que parece estar aguentando todo o peso do mar em seus ombros. A “Ocean Atlas” é o mais recente trabalho do artista Jason deCaires Taylor instalada no início deste mês na costa ocidental de New Providence, em Nassau, Bahamas.

A obra faz alusão a Atlas, o titã da mitologia grega cuja eterna punição de manter o mundo em suas costas inspirou interpretações artísticas durante séculos. Criado com uma alta densidade, cimento marinho projetado para durar centenas de anos, a “Ocean Atlas” também serve como um recife artificial para promover a vida marinha local.

Pesando 60 toneladas, a escultura é a maior a se abrigar debaixo d’água, segundo Taylor. Uma estudante local chamada Camilla serviu como modelo da mulher que tem a cabeça apoiada em um joelho dobrado. Durante a maré baixa, seu reflexo aparece de baixo da superfície do mar, criando assim a ilusão de um espelho para os mergulhadores. Para coloca-la no local, Taylor teve de desenvolver uma técnica que envolveu a redução da oba em pedaços menores.

“Foi criada usando scanners 3D e moldes em camadas”, contou o criador. “Uma vez que as seções individuais foram feiras, uma série de peças de bloqueio assegurou que cada pedaço ficasse em seu lugar”.

Ele já colocou centenas de esculturas embaixo de água do mundo todo que respondem às preocupações ambientais e visam aliviar as tensões do oceano. Em 2009, ele fundou o Museu de Arte subaquático, lar de mais de 500 de suas esculturas na costa de Cancun.

 

Topo