Lifestyle

Saúde e lazer em Montreux

As desculpas são as mesmas de sempre: correria da vida moderna, viagens, falta de tempo. O fato é que para muitos – inclusive eu – as tentações do dia a dia costumam superar o hábito de uma vida saudável e balanceada e o resultado não demora a aparecer: excesso de peso! Esse deve ser o maior desafio da grande maioria da população mundial – salvo aqueles seres abençoados que, independentemente do que comem, conseguem manter uma silhueta enxuta e imutável.

Não é de se espantar que uma das indústrias que mais crescem atualmente seja a do bem-estar e todos os seus subprodutos: dietas, suplementos, cirurgias, clínicas etc. Quase todo dia aparece uma nova “tendência”. Já vimos desfilar por esse hall o suco da lua, a dieta de South Beach, o sugar free e a baixa caloria. Mais recentemente, surgiram detox, suco verde e o glúten free.

A verdade é que não existe mágica nem poção milagrosa. O segredo – que nem é tão segredo assim – é o que aprendemos desde pequenos: comer com moderação e praticar exercícios físicos regularmente. Mesmo sendo um binômio aparentemente simples, parece que, de tempos em tempos, esquecemos a fórmula.

Eu já estava cansado de esperar por um milagre e resolvi enfrentar o desafio de reencontrar um equilíbrio na balança. Foi aí que  aceitei o convite da Clinique La Prairie (CLP) para participar de um dos seus mais recentes programas, o WMP – Weight Management Program. Conhecida e famosa mundialmente pelo seu exclusivo tratamento de revitalização (FORBES Brasil publicou uma reportagem sobre o tema na edição de maio deste ano), a CLP aplica agora todo o seu know-how e staff médico no combate ao excesso de peso.

Antes de embarcar para a Suíça, eu não sabia muito o que esperar dos 15 dias que passaria na CLP. Nunca tinha ido a um spa para a perda de peso, mas já havia ouvido relatos de amigos que passaram por experiência semelhante. Confesso ter imaginado que em algum momento iria passar fome e seria privado da minha liberdade de ir e vir, mas lá eu estava, corajosamente, embarcando de Nova York, depois de uma semana de reuniões e várias “despedidas” gastronômicas, para Montreux, a famosa “Riviera Suíça”.

Dona do melhor microclima do país – fresca no verão e com temperaturas amenas no inverno –, a cidade rodeada pelos Alpes e belos vinhedos está às margens do Lago Genebra (ou Lac Léman), o maior da Europa Central em tamanho e quantidade de água. Sua belíssima vegetação conta com espécies naturais da região do Mediterrâneo como palmeiras, pinheiros e ciprestes.

Passear pelo calçadão à beira do lago foi uma das atividades que eu, alegremente, pratiquei durante a minha estadia na CLP, fosse a pé ou de bicicleta. Ele leva à encantadora Vevey, sede da gigante Nestlé e antiga morada de Charlie Chaplin. Do outro lado do lago está a cidade de Évian-les-Bains, da famosa marca de água, cujas gotas originam-se a partir da chuva e da neve que mergulham no interior dos Alpes e lá são filtradas naturalmente por 15 anos até chegarem à nascente. Eu estava livre para ir e vir e o meu senso de responsabilidade e compromisso só aumentavam. 

Montreux não fez fama somente por sua charmosa paisagem e vizinhas ilustres. A cidade de pouco mais de 25 mil habitantes abriga todos os anos o Montreux Jazz Festival, conhecido por apresentar grandes artistas internacionais. Na última edição, em julho deste ano, Stevie Wonder foi uma das atrações principais. 

E foi logo após participar desse mesmo festival, em 1978, que Freddie Mercury, vocalista da banda Queen, resolveu morar na cidade. O astro do rock costumava dizer: “If you want peace of soul, come to Montreux”. Ele gravou seu último álbum Made in Heaven (o nome não poderia ser melhor) em um estúdio próximo ao Lago Genebra. Desde 1996, a Place du Marché abriga uma estátua de bronze do cantor e atrai fãs do mundo inteiro. 

Outro famoso que se apaixonou pela região foi o compositor russo Igor Stravinsky. Devido a questões relacionadas à saúde, o amante de Coco Chanel decidiu se estabelecer por lá em busca de um clima mais agradável. O Montreux Music & Convention Centre, local onde acontece o festival de jazz, tem um auditório com o nome de seu saudoso habitante. 

 A CLP é um dos mais luxuosos e exclusivos destinos médicos do mundo. Por lá passam reis, rainhas, celebridades e grandes fortunas – todos protegidos pelo tradicional sigilo suíço. As instalações lembram muito pouco uma clínica e mais um hotel cinco estrelas. Tudo de muito bom gosto e com qualidade de serviço incrível. Os 14 dias seguintes que passaria na CLP seriam determinantes para o que julgo ser um reaprendizado de como me alimentar bem e viver de forma saudável.

É bom lembrar que eu estava em um centro médico, referência na Europa, e não em um spa qualquer. Passei por uma bateria completa de exames e consultas e descobri, por exemplo, que não sofro de apneia do sono – um dos muitos causadores indiretos do acumulo de peso. Um dos exames que eu nunca tinha feito e que hoje julgo essencial é a calorimetria, que mede a taxa de metabolismo basal (quantidade de calorias que queimamos apenas para sobreviver, ainda que em repouso absoluto). Com base no resultado dessa avaliação elaboraram minha dieta alimentar e regime de exercícios diários. A lógica do tratamento da CLP é clinicamente conservadora e aposta numa perda de peso lenta, gradual e contínua. Nada de altos e baixos, o que se convencionou chamar de efeito sanfona.

Fiquei surpreso com a quantidade e a qualidade da comida que eu saboreava todos os dias – uma dieta de 2 mil calorias. Receitas e ingredientes de primeira que só reforçam a máxima de que a CLP não é um spa qualquer, mas um destino de luxo que oferece serviços de saúde. Minha curiosidade em descobrir de onde vinham aqueles pratos sensacionais foi tão grande que pedi para conhecer a cozinha. Acompanhado da nutricionista-chefe da CLP, Laurence Grosjean, fui até lá e me deparei com um enorme ambiente onde vários chefs trabalham de forma ininterrupta para atender os pacientes e visitantes em geral que vão até o restaurante da clínica para encontros de negócios ou lazer. 

O cuidado com os alimentos não fica restrito às dependências da clínica. O time de nutricionistas pediu, por exemplo, a relação dos restaurantes que costumo frequentar. Eles fizeram uma pesquisa dos cardápios desses locais e indicaram as melhores opções e combinações que eu deveria pedir quando estivesse em algum deles. Hoje sei as refeições mais indicadas para o meu regime alimentar nos meus restaurantes prediletos ao redor do mundo. 

Uma aula muito útil foi sobre a quantidade a ser ingerida de cada grupo alimentar. Uma nutricionista mostrou as porções de alimentos na medida exata da minha dieta calórica, sempre numa proporção de 50% legumes e verduras + 25% proteínas + 25% carboidratos. Assim, consigo visualizar quando um prato tem maior quantidade do que o recomendado para mim. São ensinamentos como esse que facilitam a continuidade do programa por um longo período.

Perda de peso requer muito mais do que disciplina alimentar: demanda exercícios físicos e tratamentos estéticos. E, é claro, desfrutei tudo isso durante a minha estadia em Montreux. A CLP possui um moderno fitness center e os profissionais se certificam de que você irá explorar ao máximo as instalações. Os treinos são curtos, intensos e variados o suficiente para você não saber o que esperar na manhã seguinte. Cheguei a treinar três vezes ao dia, variando entre cardio, musculação, pilates, ioga, funcional, muay thai e boxe… Ufa!

Uma das coisas que mais sinto falta é dos tratamentos estéticos aos quais eu era submetido diariamente. A equipe formada por experientes terapeutas, amparada pelos mais modernos equipamentos de beleza, faz do spa da CLP um oásis da beleza. Impossível não notar os resultados concretos após cada sessão. 

De todos os atrativos que existem na CLP, um indireto, mas não menos importante, é a localização. Estar na Suíça, a um passo de destinos famosos e disputados, faz uma enorme diferença. As opções são inúmeras: das cidades mais próximas como Vevey e Lausanne às um pouco mais afastadas como Gruyère ou Berna, que deve ser a mais injustiçada capital de um país europeu. Uma linda e pitoresca cidade que fica a uma hora e 30 minutos de carro de Montreux  e encanta a todos que por ali passam.

A passagem pela CLP foi um divisor de águas na minha longa trajetória do controle de peso. Sem contar o processo de aprendizado valioso e os 15 dias muito prazerosos, onde além de tratar da saúde cuidei da cabeça. Por mim, volto todos os anos.

Topo