Lifestyle

Hotel Sheraton Rio volta depois de reforma milionária

Uma das mais fotografadas paisagens da cidade do Rio de Janeiro – Rio, para os poucos íntimos –, a pintura divina que compreende as praias de Ipanema e Leblon e tem, ao fundo, o Morro Dois Irmãos possui entre seus elementos uma construção que há quatro décadas aparece nos milhões de fotografias de turistas. Saindo da Zona Sul da capital fluminense a caminho de São Conrado, pela sinuosa Avenida Niemeyer, chegamos à pequena e charmosa Praia do Vidigal, onde está o único hotel da cidade que conta com uma praia para chamar de sua, o Sheraton Rio.

Rodeado por muito verde e com o mar aos seus pés, o hotel proporciona aos seus hóspedes uma das mais estonteantes vistas do Rio de Janeiro. Mas nem mesmo na Cidade Maravilhosa é possível viver apenas da natureza exuberante. Como todo empreendimento de luxo, o Sheraton Rio investe constantemente em melhorias e acaba de concluir 90% de uma enorme reforma programada para este ano. Até o momento, já foram gastos US$ 43 milhões – o orçamento total é de US$ 50 milhões e os resultados já são notados nos novos apartamentos e nas áreas comuns. Com esse novo facelift, o hotel ganhou um spa, um business center, novos restaurantes, uma nova e moderna academia e uma cinematográfica recepção, que, em vez de quadros, relógios ou obra de artes, brinda os hóspedes com um janelão envidraçado, tendo o mar azul ao fundo.

Os altos e baixos na indústria hoteleira não param e exigem que as propriedades se reinventem constantemente sob pena de perderem hóspedes e estrelas para os concorrentes. Apesar de a reforma do Sheraton ainda não estar concluída, ela já é suficiente para recolocar o hotel na disputa pelos hóspedes mais exigentes que visitam anualmente a Cidade Maravilhosa. A decoração, a qualidade do mobiliário e os acessórios das suítes e apartamentos denunciam que estamos em um hotel novo e de muito bom gosto.

A próxima fase envolverá uma renovação completa da área de lazer externa, que conta com três piscinas, jacuzzis, kids club, quadras de tênis e poliesportiva. Esse espaço exterior é o maior ativo que o hotel possui. Afinal, nenhum dos seus concorrentes diretos jamais conseguirá proporcionar aos seus clientes a sensação de se hospedar em um hotel com o “pé na areia”, literalmente. Sentar em um dos bares externos, ver, sentir e ouvir o mar é uma experiência sensorial. “Estamos esperando a aprovação das licenças para que a segunda fase da reforma seja iniciada. Acreditamos que isso aconteça até novembro. Mas se esse processo demorar, a ideia é começarmos as obras somente em março do ano que vem, pois não queremos atrapalhar o movimento de hóspedes do final do ano”, afirma Marcelo Moretti, gerente-geral do Sheraton Rio.

O executivo está à frente do hotel há seis anos. Nesse período, já atendeu aos mais inusitados desejos. Recentemente, um hóspede solicitou que seu pedido de casamento para a namorada fosse escrito na areia da praia. A ideia era que pela manhã, logo ao acordar, a amada olhasse pela janela e visse o romântico recado. O desafio da equipe de Moretti não foi apenas escrever o pedido de casamento com letras grandes e simétricas. Eles tiveram que coordenar o horário que a futura noiva costumava acordar com o avanço da maré, além de proteger a área escrita da curiosidade dos banhistas. É por essas e outras que o Sheraton, o primeiro hotel de cadeia internacional a se instalar no Rio de Janeiro, continua fazendo história. Em seus 40 anos, já recebeu cantores como Gloria Gaynor, Donna Summer, os integrantes da banda Sex Pistols, Rod Stewart, Bryan Adams, entre outros.

Desde sua inauguração, o hotel investe entre US$ 2 milhões e US$ 7 milhões em reformas anualmente. O valor gasto na renovação de 2014 é um recorde não só para o Sheraton Rio, mas para toda a rede na América Latina. “É a primeira vez que um hotel da bandeira Sheraton na região recebe tanto investimento”, diz Moretti. A marca pertence à Star- wood Hotels & Resorts Worldwide. Só na América Latina são 33 hotéis Sheraton, e a companhia planeja inaugurar outros dois até 2016, sendo um na Bolívia e outro na Colômbia. Em junho deste ano, o Brasil ganhou um Sheraton na Reserva do Paiva, distante 25 minutos de Recife, em Pernambuco.
Antes da reforma, o Sheraton Rio não tinha spa e contava apenas com duas salas de massagem. Agora, o empreendimento possui 390 metros quadrados de área dedicada a ri- tuais de beleza e relaxamento. Todas as salas possuem grandes janelas com vista para o mar, as quais podem ser abertas para que o cliente escute o barulho das ondas durante sua sessão. Os tratamentos também podem ser feitos em bangalôs ao ar livre ao lado da piscina. O Sheraton conta com 539 acomodações, entre apartamentos e suítes. Na varanda de cada um deles, o guarda-corpo, antes feito em metal, agora é de vidro e deixa a fachada mais leve. O empreendimento também ganhou mais 550 metros quadrados em seu centro de eventos. Agora são 14 salas e um business center, os quais ocupam um espaço total de 2,6 mil metros quadrados.

Em março deste ano foi inaugurado, no 26º andar do hotel, o restaurante L’Etoile, com vista panorâmica para as praias do Leblon e Ipanema. O menu assinado pelo renomado chef Jean Paul Bondoux traz especialidades francesas tradicionais como o steak tartare e o foie gras, além de receitas com influên­cia brasileira, como o pato com manga e o sorbet de caipirinha. É nesse restaurante que os hóspedes do Club Floor (unidades situadas entre o 22º e o 25º andar com acesso a serviços exclusivos) tomam o café da manhã. Sentar-se ali para a primeira refeição do dia é uma tarefa gastronomicamente prazerosa e visualmente estimulante. O “novo” Sheraton Rio é surpreendente em muitos sentidos, mas a característica que mais chama atenção não saiu de um projeto arquitetônico ou de decoração e sim da natureza: o delicioso barulho das ondas que invade, graciosamente, os ambientes durante o dia e à noite é incrível. Dormir e acordar ouvindo o mar é algo que por si só valeria cada centavo da diária.

Topo