Lifestyle

St. Regis: a joia do Bal Harbor em Miami

Miami está no top five das cidades americanas que mais têm hotéis em seus domínios. Há de tudo por lá. Desde as pousadas mais humildes (os famosos motéis) até os exclusivos resorts que recebem hóspedes chegando a bordo de Rolls-Royces, Ferraris e Bugattis. No meio dessa enorme oferta, encontramos bons estabelecimentos com localização ruim e lugares ruins com endereços fabulosos. O St. Regis Bal Harbour é um ponto completamente fora da curva dentro desse universo. Considerado por muitos a melhor propriedade do sul da Flórida (e eu concordo), é um dos três únicos hotéis do condado de Miami-Dade que carrega a prestigiosa categoria 5 Stars concedida pelo Forbes Travel Guide. Um oásis de luxo com serviço impecável, fincado na praia em frente ao melhor e mais sofisticado mall da cidade – o Bal Harbour Shops.

A experiência começa no momento em que se entra no lobby, discreto e minimalista, onde se destaca a escultura Cloud Prototype No. 4, que parece uma nuvem de metal se movimentando no teto. Seguindo em frente, entra-se num corredor, dramaticamente decorado com seus espelhos em mosaico e um enorme e imponente lustre de cristal, que leva ao reception desk, onde uma combinação de mesas de vidro atrás das quais estão profissionais que levam o ofício da gentileza ao extremo. Não se preocupe com a vista de seu quarto ou suíte: todos estão de frente para o mar da Flórida, proporcionando espetáculos inesquecíveis do nascer do sol.

Cada detalhe do hotel foi projetado pensando em conforto e beleza. Nos quartos, por exemplo, o banheiro de mármore é integrado ao corredor de entrada. A princípio, parece que o projeto, de 60 metros quadrados, é ousado e aberto demais. Mas em pouco tempo percebe-se que a privacidade dos hóspedes é totalmente respeitada. Já nas suítes maiores, que começam em 116 metros quadrados, a varanda é consideravelmente maior e a sala de estar, aconchegante. A automação dos apartamentos e suítes é total: cortinas, luzes, ar-condicionado são comandados com um toque do seu dedo nos tablets posicionados nas mesinhas de cabeceira. Conforto completo.
O ponto alto fica por conta da suíte presidencial, equivalente a um apartamento de 260 metros quadrados e localizada no 24º andar do prédio, com uma vista de perder o fôlego. Descrição rápida: elevador privativo, um bar, uma cozinha e dois quartos, home theather com televisor de 85 polegadas e sala que abriga um sofá no qual cabem facilmente oito pessoas. Ideal para quem quer receber muitos amigos sem se preocupar com o que os vizinhos vão pensar.

Não é preciso fazer o check in na suíte presidencial para desfrutar daquilo que a rede St. Regis tem de melhor – o serviço de mordomo, batizado de “Allow Me”. Trata-se de uma brigada de homens e mulheres que se esmeram em fazer tudo pelo hóspede. Tome-se como exemplo o serviço básico que todos os mordomos de hotéis realizam – desfazer as malas dos hóspedes. No St. Regis Bal Harbour, quando as roupas são tiradas das malas, o mordomo ou a governanta automaticamente avaliam que peças precisam ser passadas a ferro e as mandam para a lavanderia. Até o limite de duas peças, nada é cobrado.

Se você foi atendido por um determinado profissional em sua primeira estada, há 99% de chances de ter o mesmo mordomo para servi-lo nas próximas viagens. Com isso, os hóspedes veem um rosto familiar toda vez que entrarem em suas suítes – algo que faz uma enorme diferença durante uma desgastante business trip – fora o fato de serem saudados pelos seus sobrenomes ao transitarem nas áreas comuns do hotel. Mais um detalhe: experimente deixar seus óculos, de sol ou de grau, sobre o criado-mudo do seu quarto. Quando voltar, você vai encontrá-lo ao lado de um elegante lenço com o brasão do St. Regis, para limpeza das lentes Ou seja, cuidado nos mínimos detalhes.

Imagine, contudo, que você chegue ao St. Regis apenas para relaxar. Há duas piscinas: a resort pool é aberta a todos os hóspedes, independentemente da faixa etária, e a tranquility pool é exclusiva dos adultos – nada de correria e gritaria de crianças para atrapalhar o seu banho de sol. Na praia quase privativa em frente, você vai encontrar as espreguiçadeiras mais confortáveis que provavelmente já deitou na vida, com um serviço de bar irretocável. Isso tudo faz da praia do hotel um dos lugares mais disputados da propriedade.

Mas há ainda uma excelente opção: o Remède Spa, um centro de relaxamento que vai mudar seus conceitos sobre tratamentos de beleza e de relax. Há várias opções de massagem e até uma sala na qual um casal pode realizar em dupla as delícias que os especialistas em health and beauty preparam para os guests. Uma opção imperdível é a massagem que começa com um scrub de açúcar mascavo, que é retirado com delicados jatos de água morna. Em seguida, uma massagem de óleo corporal com partículas de ouro 24 quilates é aplicada. O resultado é uma pele acetinada e luminosa.

Depois de todo esse cuidado com a pele e os músculos, é hora de algumas comprinhas. Afinal, it’s Miami, baby. Ao sair do lobby, nem pense em pedir um táxi. O hotel tem uma frota de carros de luxo, Bentley em sua maioria, para mimar seus hóspedes. Dependendo do seu pacote, o passeio será de graça. Mesmo que você tenha de abrir a carteira, porém, é um luxo que vale a pena. Ah, se a preguiça bater e você não quiser andar os 200 metros que separam a porta do St. Regis da entrada do Bal Harbour, peça ao porteiro e o seu shuttle será um Bentley Flying Spur.

Se sua viagem inclui crianças e você viajou sem sua babá, o que fazer naqueles momentos em que surge uma oportunidade fabulosa para um almoço ou jantar com amigos, num restaurante especial? Resposta: o hotel dispõe do Sea Turtle Club, no qual seus filhos, de 4 a 12 anos, podem ficar durante o dia ou à noite, sob o cuidado de monitores – entre os quais vários falam português.

Mas não é necessário sair do St. Regis para almoçar ou jantar num restaurante de primeira grandeza. O J&G Grill, concebido pelo chef Jean-Georges Vongerichten, dono de quase 30 casas mundo afora – entre as quais os badalados Jojo e The Mercer Kitchen, em Nova York –, é um dos melhores de Miami. São servidos peixes divinos, com receitas que evocam a Ásia e a França, perfeitos para o calor da Flórida.

Além do J&G, o sushi bar The St. Regis apresenta clássicos da gastronomia japonesa e pratos com um toque asiático. Esse bar tem uma das maiores e melhores adegas de Miami e recentemente tem servido de base para o Sommelier’s Club, um evento no qual se oferece um jantar plenamente harmonizado com as melhores opções enófilas da cidade. Em cada jantar, o St. Regis recebe um produtor de vinho de algum país (Itália, França e EUA) para falar sobre a bebida e seu modo de produção. O encontro é organizado pelo sommelier do hotel, o francês Sebastian Verrier. Antes de embarcar, pergunte ao concièrge se um desses jantares coincidirá com sua visita. Se sim, sua estadia será ainda mais deliciosa.

Aproveite para separar alguns minutos de seu tempo para conversar com o novo diretor-geral do hotel, o brasileiro Milton Sgarbi, que está na rede St. Regis há anos e tem em seu resumé temporadas nas unidades de Bora Bora e Havaí. Simpático e solícito, ele é a garantia de que uma pessoa que fala a sua língua estará à disposição para resolver eventuais problemas e oferecer endereços que só os residentes conhecem.

Basta ficar hospedado ali por alguns dias para entender o motivo do estrondoso sucesso do St. Regis Bal Harbour. Diante de tantos mimos, é ainda mais fácil compreender porque cerca de 65% dos proprietários das duas torres residenciais que fazem parte do complexo são felizes brasileiros que usufruem toda infraestrutura dessa joia da coroa da Starwood Hotels. Há vários estabelecimentos que abrirão suas portas na cidade nos próximos dois anos e que vão tentar rivalizar o St. Regis em matéria de elegância, cortesia e luxo. Mas mesmo que eles consigam chegar perto nesses quesitos, nenhum estará num endereço tão charmoso quanto o número 9703 da Collins Avenue.

Topo