Alimentação saudável pode reduzir em 24% o risco de declínio cognitivo

iStock
iStock

Um novo estudo descobriu que, quanto mais saudável é a alimentação ao longo dos anos, mais saudável o cérebro vai envelhecer.  Na nova pesquisa da Universidade McMaster, no Canadá, pessoas de todo o mundo que mantiveram uma dieta balanceada têm um risco reduzido de declínio cognitivo à medida que envelhecem. Mas qual é então a alimentação mágica? Assim como em outras áreas da saúde, não é uma coisa: é uma combinação de coisas.

A equipe analisou a saúde e os hábitos de quase 28 mil pessoas, de 55 anos, em 40 países. O time classificado como saudável ingeria alimentos como vegetais, frutas, peixes, nozes, produtos de soja, com consumo moderado de álcool. Os alimentos não saudáveis ​​carne vermelha, alimentos fritos e doces.

Ao final do estudo de quase cinco anos, 4.700 pessoas haviam começado a experimentar o declínio cognitivo. Das 5.700 pessoas com dietas mais saudáveis, 14% tinha desenvolvido o problema, e das 5.460 pessoas com dietas menos saudáveis, cerca de 20% experimentou o problema.

Pode parecer uma diferença pequena, mas trata-se de uma redução de 24% no risco para aqueles que têm uma dieta equilibrada. O importante é entender que não é um alimento que protege o cérebro, mas sim toda a sintonia de alimentos trabalhando juntos. O autor do estudo Andrew Smyth afirma: “o consumo de escolhas saudáveis pode ser benéfico, mas o efeito pode ser perdido/reduzido com o consumo de escolhas não saudáveis. Por exemplo, o efeito benéfico da fruta pode ser perdido se preparada com grandes quantidades de gorduras ou de açúcares”.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).