Lifestyle

Norte-americano de 27 anos já vendeu US$ 1 bilhão em imóveis de luxo

Alexanders

Oren Alexander (ao fundo) e o irmão Tal (Divulgação)

Nascido em Miami Beach e formado em finanças, Oren Alexander é o que se pode chamar de menino prodígio. Hoje com 27 anos, tornou-se um dos maiores vendedores de propriedades de luxo dos Estados Unidos, com transações que somam cerca de US$ 1 bilhão. Esse mergulho em mares dominados por tubarões o colocou na lista 30 under 30 de Forbes, que destaca os empreendedores jovens que estão fazendo sucesso, dinheiro e história na América. “O imóvel mais caro que já vendi foi a mansão 3 Indian Creek [localizada em uma vila exclusiva em Miami-Dade e lar de muitas celebridades e bilionários], por US$ 47 milhões. Mas vou quebrar meu recorde este verão com a venda da penthouse no Faena House, um empreendimento de luxo de frente para o mar em Miami, por US$ 50 milhões”, conta, em entrevista a FORBES Brasil.

Filho do fundador de uma empresa de segurança privada, a Kent Security, que nos últimos 15 anos focou-se no desenvolvimento de imóveis de alto padrão, Alexander conseguiu crescer por mérito próprio. Sua proximidade com o ramo imobiliário ocorreu naturalmente, desde cedo, dada a paixão do jovem por design e arquitetura. “Desde pequeno, eu lia e pesquisava sobre os melhores arquitetos e suas obras. Enquanto meu pai construía casas, eu caía de amores pela ideia de criar algo no papel”, recorda.

Divulgação

252 Bal Day Drive, em Bal Harbour, à venda por US$ 35 milhões (Divulgação)

Em 2008, após se graduar, Alexander saiu em busca de um emprego. O que ele encontrou, no entanto, foi um mercado imobiliário fragilizado, dada a crise financeira que afetava os Estados Unidos naquele momento. Conseguir um emprego remunerado no setor parecia impossível. A única oportunidade real era tornar-se um agente imobiliário, que vivesse 100% de comissão. Apesar de desafiante, Alexander enxergou a oportunidade como “uma bênção disfarçada”. “Os melhores anos do real estate foram de 2005 a 2007, mas vi que era um bom momento para aprender e me aprimorar para o próximo boom.”

Foi assim que ele conseguiu fazer seu primeiro gol, a partir da venda da penthouse do The Park Imperial, em Mid­town (Nova York), por US$ 8,2 milhões, em junho de 2009. “Foi um grande negócio que ocorreu durante a recessão.” Hoje, ele soma 350 imóveis vendidos entre Nova York, The Hamptons, Miami e Aspen, totalizando transações de aproximadamente US$ 1 bilhão.

A revista Wallpaper, não por acaso, é sua publicação predileta. Viagens a trabalho pelo mundo também fazem parte da sua rotina. “Eu tive muito sucesso no meu negócio a partir da construção de boas redes de relacionamento. Viajo para lugares com grande quantidade de indivíduos de alta renda. Semana passada, fui à Bienal de Veneza e participei de vários eventos e jantares de alto padrão para François Pinault [bilionário francês, colecionador de arte e CEO da Kering, controladora de marcas de luxo, esportes e lifestyle] e Larry Gagosian [importante negociador americano de obras de arte]. Também viajo para algumas das principais mostras de arte ao redor do mundo, como Basel, na Suíça, e Art Basel, em Hong Kong. Faço isso como colecionador de arte contemporânea e também por entender que meus clientes se reúnem nesses lugares.”

3 Indian Creek, o imóvel mais caro já vendido por Alexander (Divulgação)

3 Indian Creek, o imóvel mais caro já vendido por Alexander (Divulgação)

Sua diferença? “Meus clientes são verdadeiramente amigos. Gostamos de ir aos mesmos restaurantes, comparecer aos mesmos eventos, vestir roupas similares e praticar os mesmos esportes, como snowboard e kitesurfe. Enquanto a maioria dos agentes trabalha das 9 às 17 horas, cinco dias por semana, eu trabalho em esquema 24×7. Por isso, tenho acesso às ofertas antes de qualquer um”, revela.

O jovem prodígio tem no irmão Tal seu braço direito. Ele é cofundador do The Alexander Team, que trabalha hoje com 15 agentes entre Nova York e Miami. “Nossa corretora é a Douglas Elliman, a número um dos Estados Unidos.” Com o fortalecimento do dólar e o aumento do poder de compra dos americanos, o mercado de luxo anda aquecido para Alexander, que também mira clientes internacionais.

Faena House, luxo de frente para o mar em Miami, por US$ 50 milhões (Divulgação)

Faena House, luxo de frente para o mar em Miami, por US$ 50 milhões (Divulgação)

Se cruzar com ele, prepare-se. Ele vai te oferecer duas propriedades. A primeira é a 252 Bal Bay Drive, em Bal Harbour, em desenvolvimento por seu pai. Trata-se de uma casa moderna de frente para o mar, com portas de correr em vidro e cobertura com bar e jacuzzi, por US$ 35 milhões. A outra é uma mansão em pedra calcária situada na Fifth Avenue e chamada de 24 East 81st Street, em Nova York. A propriedade em estilo neorrenascentista do Upper East Side, com 24 diferentes alas, dez quartos e 11 lareiras, pode ser usada como residência privada, clube privado, instituição ou para fins comerciais. Preço: US$ 59 milhões.

Mansão em Nova York, à venda por US$ 59 milhões (Divulgação)

Mansão em Nova York, à venda por US$ 59 milhões (Divulgação)

Comentários
Topo