Lifestyle

Loja na Califórnia vira sensação após El Chapo aparecer com seus modelos

Modelos da loja Barbaras, usados por El Chapo (Divulgação)

Modelos da loja Barabas, usados por El Chapo (Divulgação)

El Chapo, um dos maiores traficantes do planeta, virou praticamente um ícone pop depois de a controversa entrevista que deu à revista Rolling Stone, feita pelo ator Sean Penn. Desde que a matéria foi publicada, no começo deste ano, a rotina de uma pequena loja na Califórnia mudou. O motivo? O fugitivo usava duas camisetas da startup nas fotos divulgadas.

Agora, os telefones não param de tocar na Barabas, contou a vice-presidente Tatiana Kivachook ao portal Mashable. De acordo com ela, há pedidos de vários lugares dos Estados Unidos e do mundo.

“Na verdade, tem sido difícil. Por um lado, estamos muito empolgados, mas, por outro, nosso negócio está paralisado desde a primeira semana por causa da demanda e de pedidos de entrevistas”, explicou Tatiana.

Barabas costumava receber a encomenda de 10 a 20 camisetas por dia antes da divulgação da entrevista. Agora, passa de centenas. Isso faz com que todos os funcionários tenham de trabalhar em horas extras e o site fique muitas vezes sobrecarregado.

El Chapo, com uma das camisas da Barabas, durante vídeo-entrevista que fez com Sean Penn (Reprodução)

El Chapo, com uma das camisas da Barbaras, durante vídeo-entrevista que fez com Sean Penn (Reprodução)

Além disso, a atenção da imprensa também tem atrapalhado um pouco o andamento das coisas, já que muitas pessoas têm interpretado o fenômeno de forma negativa. “A imagem da nossa loja está passando por uma montanha-russa”, conta Tatiana. Segundo ela, há muitas criticas de que o modelo incentiva o “culto às drogas” e que eles estão “procurando lucro em nome da glorificação de um traficante”.

“Como eu respondo a isso? Não se pode nem fazer uma conexão”, questiona Tatiana. “Não significa que nenhuma das marcas que El Chapo escolheu, seja lá por qual razão, apoia as operações de traficantes.”

Comentários
Topo