Lifestyle

Como fazer parte do clube do vinho mais exclusivo do mundo

(Foto/Reprodução)

(Foto/Reprodução)

Bernnatd Hervet, visionário que trouxe a 1243 Borugogne Society à vida dois anos atrás, revela como surgiu clube exclusivo de vinho. “Foi apenas uma ideia louca. Eu costumava passar pela área do Hospice de Beaune, que foi uma loja de vinhos por muito tempo, e sonhava em transformá-la em um clube privado.” Hervet estava encantado com o antigo edifício construído em 1243, 200 anos antes do Hospice. É um lugar escondido, apesar de estar localizado na Rue de l’Hotel Dieu, a alguns passos de distância da entrada do histórico museu do Hospice de Beaune, em Borgonha, na França.

O enclave de quartos de pedra interconectados se mistura perfeitamente com a arquitetura do séc. XV do Hospice, um antigo hospital que agora é um dos museus mais populares em Beaune. Coloque nessa mistura uma excelente história, um belo jardim, múltiplas salas privadas e uma adega subterrânea perfeita para guardar vinhos fortes. Pronto, as bases de um clube do vinho já estão dispostas.


LEIA MAIS: Conheça Hussain Sajwani, o “Trump de Dubai”

Para financiar o projeto, Hervet contatou Olivier Halley, dono dos Château de Meursault e Château de Marsannay. O tino comercial de Halley, baseado mais no varejo do que nos vinhos, junto com os contatos e o talento para criar novos conceitos de Hervert, criou o clube exclusivo que tinha, inicialmente, como alvo os maiores colecionadores da Borgonha. “Nós atualmente temos 60 membros”, diz Hervet. “Nosso máximo é de 100 pessoas, senão o clube não será mais especial. Espero que ele esteja cheio no ano que vem.”

Membros vêm de todo mundo, incluindo a Austrália, Suíça, Hong Kong, Bélgica e Londres. Todos são loucos pela Borgonha e vários são colecionadores da cidade, embora algumas vagas para o clube estejam abertas. “O objetivo dessa sociedade não é discutir negócios, mas sim compartilhar vinhos com pessoas que pensam que nem você, que são apaixonadas por vinhos. Deixamos isso muito claro desce o começo”, acrescenta Hervet.

LEIA MAIS: “O melhor ainda está por vir”, afirma CEO da Audemars Piguet sobre marca

Para uma sociedade com apenas 60 membros, dos quais menos de 7 são franceses, há, nas premissas, um número incrível de eventos, jantares e aulas todo mês. Alguns meses como junho durante o Musique et Vin (Música e Vinho, em tradução livre), festival criado por Bernard Hevet, há eventos quase diários. “Oferecemos aulas com vários tipos de vinhos grand cru, ministradas por vignerons (produtores de vinho, em francês). Também oferecemos jantares temáticos, como aqueles em que oferecemos vinhos vintage de anos que terminam com o número 6. Vários viajam para a França apenas para frequentar nossos eventos.”

LEIA MAIS: 18 hotéis de luxo para curtir neste ano

Hervet, responsável pelo Bouchard Père et Fils e William Fèvre por vários anos e que trabalha como consultor para o Faiveley, tem contatos ao redor do mundo. Foi muito fácil para ele entrar em contato com sua clientela, pois são seus amigos de longa data. Sendo assim, vários de seus conhecidos apoiaram sua ideia e atualmente comparecem regularmente ao clube. “Onde mais no mundo se pode ter essa atmosfera e, além disso, abrir quantas garrafas de vinho quiser? A 1243 Borugogne Society é feita sob medida para seus membros.”

Quando perguntado sobre o porquê de vários membros do clube residirem em outros lugares e ainda assim participarem da sociedade, Hervet responde: “Fazer parte da 1243 dá aos visitantes um espaço só deles. Parte de ser membro inclui ser dono de uma parte da adega, onde se pode guardar até 100 garrafas. Você pode alugar pequenas salas privadas para quatro ou seis pessoas, ou convidar 100 pessoas para uma festa de degustação de vinho. Você pode aproveitar as facilidades de um prédio com 800 anos de história e conhecer pessoas que, como você, são apaixonadas por vinho e adorariam dividir uma garrafa de Borgonha em um local muito especial no coração de Beaune. Isso é especial.” Hervet parece não se preocupar com o fato de seus amigos terem duvidado do sucesso do projeto. Ele ri e diz: “São apenas os franceses sendo franceses.”

LEIA MAIS: “Estamos superando limites”, afirma CEO global da Montblanc

Mas como alguém pode se inscrever? Como se tornar um membro do clube? Primeiro, você tem que ser apresentado por uma personalidade, assim sua inscrição é enviada com o aval de dois “padrinhos” ou “madrinhas”, já membros do clube. Depois, é feita uma checagem discreta com os membros do clube para ver se alguém tem alguma objeção ou comentário a ser feito sobre o aplicante. Uma vez que o formulário enviado é aceito, as taxas de inscrição têm que ser pagas.

Hervet não revela o preço da taxa de inscrição e o custo anual para ser sócio do clube exclusivo: “Me perdoe, mas não posso compartilhar esse tipo de informação.” Ele complementa: “Se você precisa perguntar o quanto tudo custa, então você claramente não pode arcar com os custos de fazer parte do clube.”

Comentários
Topo