Hotel de 10 mil quartos da Arábia Saudita enfrenta crise econômica do país

Reprodução
Reprodução

Previsto para ficar pronto até o final de 2017, o Abraj Kudai, em Meca, na Arábia Saudita, será o hotel com maior número de quartos do mundo. Isso se o investimento calculado em US$ 3,5 bilhões conseguir sobreviver à queda do preço do petróleo do último ano.

O Ministério das Finanças do Reino da Arábia Saudita é o responsável pelo empreendimento, que deverá contar com o serviço do The Saudi Binladin Group, uma das maiores companhias de construção do país. Por uma série de acontecimentos econômicos que desaceleraram a economia da região, o Abraj Kudai está parado até que o governo recupere o dinheiro necessário para fazer o investimento.

VEJA MAIS: 4 hotéis icônicos das capitais mais cobiçadas do mundo

O hotel terá 10.000 quartos, cerca de 3.000 a mais do que o maior do mundo atualmente, o First World Hotel, com 7.351. O local terá, também, 70 restaurantes, uma pequena rodoviária, um shopping center e um salão de conferências. Com doze torres com quartos de quatro e cinco estrelas, os cinco últimos andares de cada um dos prédios serão reservados para a família real saudita.

O empreendimento, que será desenvolvido pela empresa internacional de design Dar Al Handasah, tem recebido críticas por sua proximidade à mesquita Al-Haram, onde, anualmente, acontece a peregrinação dos muçulmanos que vão à Meca.

E AINDA: 10 compras mais extravagantes feitas por bilionários

Enquanto o país enfrenta a crise causada pela queda do preço do petróleo, no entanto, o projeto continuará no papel. Para os próximos meses, os planos do país são reduzir gastos, abrir a economia para maiores investimentos externos e mudar a política de imigração para trazer profissionais qualificados para trabalharem por lá.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).