Lifestyle

Os dez melhores comerciais do SuperBowl 2017 segundo suas músicas

Milhões de pessoas se reunirão em torno de suas televisões neste domingo (05/02) para assistir ao jogo de futebol americano entre Patriots e Falcons, a final da NFL (National Football League), um dos principais eventos esportivos do mundo e uma oportunidade e tanto para a publicidade, independentemente de quem vença a partida. Mesmo quem não acompanha o evento ao vivo, não tem como ignorar os intervalos comerciais. As marcas possuem técnicas infalíveis para chamar a atenção.

LEIA MAIS: Conheça o pacote de US$ 250 mil para assistir ao Super Bowl

Os orçamentos para os comerciais do Super Bowl estão no auge. A média de produção gira ao redor de US$ 1 milhão, enquanto os custos de veiculação, por 30 segundos, beiram os US$ 5 milhões. De acordo com a revista Fortune, muitas vezes há, ainda, um adicional de 25% do orçamento total para investir na promoção do comercial antes do evento.

Quem tem cacife para garantir presença no intervalo, não economiza em efeitos especiais, contratação de celebridades, locações luxuosas para as filmagens e, claro, hits. No pré-lançamento dos comerciais do Super Bowl deste ano já deu para perceber o poder das músicas escolhidas pelos publicitários e como elas se encaixam em três categorias. As abordagens variam, mas são todas eficazes. Algumas apelam para a nostalgia – com canções famosas que exigem cifras de seis dígitos para serem licenciadas -, outras focam na comédia ou há as que preferem mais profundidade emocional.
Veja na galeria os 10 melhores comerciais do Super Bowl no quesito musical:

NOSTALGIA

Kia
A montadora sul-coreana não apenas escalou a atriz Melissa McCarthy, mas também fez a escolha da música perfeita para o comercial. A canção “I Need a Hero”, de Bonnie Tyler, é a melhor opção quando se trata de nostalgia. Produzido por David & Goliath, o comercial mostra Melissa em uma série de cenários de filmes de ação encarando a missão de salvar animais e o meio ambiente em seu novo Kia Niro híbrido.


GoDaddy
O comercial da empresa de registros e hospedagem de sites foi pelo mesmo caminho do da Kia. Produzido por Bullish, o filme mostra um personagem que personifica a internet sincronizado com a trilha sonora do hit número 1 da época de seu lançamento, “Never Gonna Give You Up”, de Rick Astley. A música tem um instrumental divertido que embala a viagem de carro até a casa durante o icônico refrão.



Mercedes-Benz
A marca alemã foca, este ano, nos “baby boomers” e, para dirigir o comercial, contratou ninguém menos do que os irmãos Joel e Ethan Coen. O curta tem a trilha sonora da banda de rock americana Steppenwolf (“Born To Be Wild”), o ator Peter Fonda e referências ao filme “Easy Rider”, de 1969.



Wendy’s
A rede de lanchonetes não escolheu um caminho sutil. Muitas vezes, marcas evitam forçar a barra, especialmente no que diz respeito à letra da música-tema. Mas, pelo bem da comédia, um hit pode significar bem mais do que meio caminho andado. A Wendy’s escolheu “Cold As Ice”, da banda britânico-americana Foreigner, para sua grande estreia no Super Bowl. Com uma letra muito literal – e uma melodia clássica -, a mensagem de humor é a que fica. O comercial foi produzido pela VML.



HITS ATUAIS

PepsiCo
Para o lançamento de sua nova marca de água, a PepsiCo utiliza uma versão da música de John Legend, “Love Me Now”. O comercial foi produzido pela Hustle Chicago R/GA.



Lexus
A marca de carros de luxo utilizou “Move Your Body”, da Sia, com imagens de uma performance do rapper Lil’ Buck, para promover o novo LC 500. Produzido por Team One, o comercial também utiliza offs com a voz da atriz Minnie Driver.



Nintendo
O filme utiliza a nova música da banda Imagine Dragons, “Believer”. Com o lançamento do novo Nintendo Switch marcado para o dia 3 de março, nos EUA, este é o momento perfeito para visibilidade. O comercial foi produzido pela Leo Burnett.



ORQUESTRA

Budweiser
Produzido pela Anomaly, o comercial mostra o encontro dos fundadores Anheuser e Busch quando ambos imigraram para os Estados Unidos, em 1800. A história é um tanto controversa devido ao clima político norte-americano dos dias atuais. A beleza da orquestra é emocionalmente apelativa e enriquece a cinematografia do comercial.



Audi
Produzido pela Venables & Partners, o comercial conta a história de um pai feminista e de sua filha. A música orquestrada complementa o clima emotivo. Este ano marca a nona aparição da Audi no intervalo do Super Bowl.



Febreze
A fabricante de aromatizadores Febreze utiliza uma música orquestral para dar ao comercial ares de comédia. A trilha sonora tem um tom de patriotismo para divulgar a “pausa para o banheiro”. A empresa é uma das quatro empresas de itens de cuidados para casa a anunciar no Super Bowl 2017. O comercial foi produzido pela Grey.



Comentários
Topo