Lifestyle

Como um lápis de cor pode ser tão caro quanto uma joia

Divulgação

Estojo exclusivo Karlbox (Divulgação)

Muito apreciados por artistas gráficos, os lápis de cor da Prismacolor costumam ter a fama de ser os mais caros do mercado, com estojos beirando R$ 1 mil. Mas estão longe disso.

O lápis mais caro do mundo pertence a uma coleção da Faber-Castell e custa mais de R$ 23 mil. O item vem com apontador e borracha integrados – os dois suportes feitos de ouro branco. O apontador levou uma coroa decorada com três diamantes, como símbolo do terceiro milênio. O lápis ganhou o nome de “Perfeito” pelo fabricante.

LEIA MAIS: Conheça a coleção de uísque mais cara do mundo

A série tem uma versão mais barata, feita com cedro californiano artesanalmente nervurada adornada com uma tampa extensora banhada em platina. Está à venda no Brasil por R$ 1.099,90.

Divulgação

Lápis mais caro do mundo, com apontador e borracha integrados em suporte de ouro branco (Divulgação)

Também para a Faber-Castell, o estilista alemão Karl Lagerfeld colocou seu talento na confecção de um estojo de pintura. Charles Graf von Faber-Castell, que representa a nona geração da família dona da empresa, justifica: “Em vista da digitalização crescente, a necessidade de compensar a mente com atividades analógicas está aumentando. A tendência geral pela escrita à mão – que não é perfeita, mas é criativa – já era previsível há um bom tempo”, diz ele. Lagerfeld criou então a Karlbox, uma coleção de instrumentos e acessórios de desenho e pintura em uma caixa colecionável, com edição limitada – e preço de R$ 12 mil.

VEJA TAMBÉM: Conheça a coleção de joias criada a partir de um diamante perfeito de 342 quilates

Tanto o Lápis Perfeito quando a Karlbox estão à venda no Brasil.

Comentários
Topo