Lifestyle

Empresa norte-americana investe US$ 30 milhões para desenvolver capacete mais seguro

Reprodução/Forbes

O objetivo do capacete é reduzir impactos e atenuar colisões (Reprodução/Forbes)

A VICIS, uma startup de Seattle voltada para a segurança no meio esportivo, está focada em rodadas para levantamento de capital. Fundada em 2013, a empresa preencheu, recentemente, a documentação necessária para provar que, até este momento, arrecadou apenas US$ 30 milhões, dinheiro que está sendo usado para produzir, distribuir e promover um capacete de ponta para o futebol americano. A mais recente captação de recursos tem como objetivo aumentar a capacidade da VICIS de comercializar o ZERO1 para universidades e para a NFL (liga de futebol nacional norte-americana).

LEIA TAMBÉM: 10 times mais valiosos do futebol americano

A partir de agora, o foco da empresa é o capacete que já custou US$ 20 milhões e três anos de pesquisa e desenvolvimento antes do lançamento. A proposta do ZERO1 é utilizar suas múltiplas camadas para reduzir o impacto e atenuar as colisões vindas de várias direções. A parte externa, por exemplo, é feita para suportar o impacto de forma semelhante ao para-choque de um automóvel. E, embora a intenção seja das melhores, a ideia já enfrentou alguns problemas no caminho para uma aceitação mais ampla.

A parte externa do capacete é feita para suportar o impacto de forma semelhante ao para-choque de um automóvel

O ZERO1, que tem preço estimado de US$ 1.500, foi impulsionado depois de ser fornecido para atletas das universidades de Washington e do Oregon, em agosto de 2016. Alguns jogadores sentiram uma pressão na testa que gerou desconforto ao longo do tempo. A empresa realizou, então, aperfeiçoamentos baseados nessas opiniões, que serão testados por um número considerável de atletas.

A previsão é que a novidade seja disponibilizada em mais de 20 programas da NCAA, entidade máxima do esporte universitário americano, para os treinos na primavera. Atualmente, o capacete está sendo utilizado no novo “Spring League”, a liga instrucional. Além disso, mais de 25 times da NFL estão se preparando para testar o capacete durante as OTAs, atividades que ocorrem quando as equipes se reúnem fora das temporadas, no verão americano.

VEJA MAIS: Capacete de voo supertecnológico custa US$ 400 mil

Uma das universidades inscritas para receber o capacete da VICIS é a do Alabama, em Birmingham. A entidade vai dividir os royalties com a companhia, e os recursos serão usados para apoiar pesquisas complementares na própria universidade.

Os investidores da VICIS são, até o momento, o Peregrine Group, Steven Singh, CEO da Concur Technologies, e o ex-quarterback da NFL, Roger Staubach.
Além disso, muitos jogadores notáveis atuais e antigos da NFL, como Doug Baldwin, Richard Sherman, Bobby Wagner e Jerry Rice fazem parte da “Coalition” – grupo de pessoas interessadas em promover a segurança no esporte – e promovem a empresa e seus produtos para o público.

Comentários
Topo