Lifestyle

Sexo é bom sim, mas não pelo motivo que você pensa

relação sexual

Pesquisadores descobriram que a relação sexual é um meio para um fim: o afeto (iStock)

É óbvio para a maioria das pessoas que o sexo é um fator de satisfação. Mas será que os motivos que levam a essa felicidade são aqueles que nós pensamos até hoje?

LEIA MAIS: Sexo melhora a performance no trabalho, diz estudo

Esse é o tema de uma recente pesquisa que afirma que o sexo é um meio para um fim diferente: o afeto. A partir dessa lógica, o sexo em si é extremamente adorado e desencadeia uma cascata de sentimentos de felicidade, e esses sentimentos não servem apenas para unir as pessoas depois do relacionamento sexual, mas também pelas horas e pelos dias seguintes. Em outras palavras, ele é a cola para uma ligação.

Estudos indicaram uma forte correlação entre sexo e emoções positivas, mas apenas quando o afeto estava inserido nessa equação

Uma equipe de pesquisadores testou essa hipótese por meio de uma série de estudos impressionantes. Em um deles, os estudiosos conduziram um questionário para determinar como o sexo e a felicidade estavam interligados na vida dos participantes (uma conexão bem estabelecida por pesquisas anteriores: o sexo aumenta a sensação de felicidade quando praticado pelo menos uma vez por semana). Os resultados indicaram uma forte correlação entre sexo e emoções positivas, mas apenas quando o afeto estava inserido nessa equação. Quando ele era removido, a conexão praticamente desaparecia.

LEIA TAMBÉM: 20 presentes milionários para o Dia dos Namorados

Para reafirmar esses resultados, a equipe também conduziu avaliações de “experiência de sampling”. Foi pedido a cerca de 200 participantes (a maioria deles era formada por casais que viviam juntos) que mantivessem diários pessoais para anotar a frequência com que faziam sexo e experimentavam “sentimentos eróticos” mais gerais. Eles também tinham que registrar quando vivenciavam sentimentos de carinho e de intimidade que não tivessem necessariamente relação com sexo. A consequência foi que o sexo apareceu associado a emoções positivas quase sempre que havia afeto (mais de 90% do tempo em todos os diários dos casais). Seis meses depois, os casais com as conexões mais fortes entre o afeto e o sexo também relataram estar mais satisfeitos com seu relacionamento.

Para conseguir uma resposta melhor, a equipe pediu para que aproximadamente 60 casais monitorassem suas atividades afetivas sexuais e não-sexuais por meio do smartphone durante todo o dia até a hora de dormir. Os resultados mostraram que as pessoas possuíam experiências de afeto imediatamente depois do sexo, mas elas também relataram esse sentimento horas depois. Em outras palavras, há uma grande relação entre o sexo e o afeto no curto e no longo prazos, o que sugere que o sexo é o meio para um fim que gera sentimentos de afeto e que dura muito mais tempo do que a relação sexual em si.

E TAMBÉM: Casais que dividem igualmente responsabilidades dos filhos fazem mais sexo, diz estudo

É claro que nada disso prova que o sexo leva à felicidade porque ele gera mais afeto, mas essa série de estudos destaca uma conexão interessante. É possível concluir que, no final, o sexo com afeto é muito mais forte do que o sexo em si. E, particularmente no caso dos casais, essa conexão pode ser o ingrediente que os mantêm unidos, porque isso faz com que eles se sintam mais felizes.

De acordo com a equipe de pesquisadores, “o sexo não é benéfico por causa dos seus efeitos fisiológicos, mas porque ele promove uma conexão mais forte e positiva com o parceiro”.

Comentários
Topo