Chineses invadem outlets de luxo

Getty Images
Florentia Village tem três unidades em território chinês (Getty Images)

Os grandes centros de compras a céu aberto de produtos de luxo com descontos da Europa, do Reino Unido e da China têm, entre seus frequentadores, um público cada vez mais expressivo: os chineses.

LEIA MAIS: País com mais bilionários no mundo, China tem dois novos representantes por semana

Os outlets Value Retail, com 11 unidades no Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Bélgica e China, e Florentia Village (foto), com três unidades em território chinês, são prova disso.

Do número total de visitantes que passaram pelo Value Retail de Oxford, na Inglaterra, em 2016, 66% eram chineses; na unidade de Xangai, quase 1 milhão nos primeiros oito meses depois da inauguração.

O Florentia se prepara para abrir mais sete unidades em Hong Kong e China, com o objetivo de cobrir a necessidade de uma nova classe consumidora, ávida por grifes como Yves Saint Laurent, Armani e Burberry – que podem chegar a custar 80% menos do que nas lojas tradicionais. E esse é um mercado que tende a crescer: atualmente, menos de 10% dos chineses têm passaportes e viajam para outros países.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).