Primeira estação modular vai permitir se hospedar no espaço a partir de 2022

Para onde você viajaria se já tivesse visitado todos os lugares da Terra? Talvez iria ao espaço. Até 2022, será possível visitar o espaço e, como bônus, hospedar-se com estilo no primeiro hotel de luxo espacial, que incluirá uma suíte particular. O empreendimento foi apresentado no início deste mês, durante a Space 2.0 Summit, na Califórnia (EUA).

VEJA TAMBÉM: Conheça as astronautas mulheres do Kennedy Space Center

Batizado em homenagem ao fenômeno mágico de luz que ilumina os céus polares da Terra, o Aurora Station é desenvolvido pela Orion Span e sua equipe interna de veteranos, com mais de 140 anos de experiência humana no espaço.

O Aurora Station é considerado a primeira estação espacial totalmente modular e funcionará como um hotel, com capacidade para hospedar até seis pessoas ao mesmo tempo, já inclusos os dois membros da tripulação. Os viajantes espaciais desfrutarão de uma única e autêntica experiência como astronautas, em uma jornada de 12 dias, a partir de US $ 9,5 milhões por pessoa.

Segundo Frank Bunger, diretor-executivo e fundador da Orion Span, “após o lançamento, o Aurora Station entrará imediatamente em operação”. E completa: “O que historicamente é um regime de 24 meses de treinamento para habilitar os viajantes a visitar uma estação espacial será reduzido a um trimestre, por uma fração do valor. Nosso objetivo é tornar o espaço acessível, a custos mais baixos”.

Antes de decolar, os viajantes receberão uma certificação de astronauta Orion Span (OSAC), válida por três meses. A primeira fase do programa de reconhecimento é feita on-line. A segunda, pessoalmente, nas instalações de treinamento da empresa, em Houston, Texas (EUA). A certificação é concluída durante uma estadia na Aurora Station.

Mas o que os viajantes farão durante sua estadia no espaço? Entre as surpresas da experiência em si, são previstos voos livres em gravidade zero, vista das auroras do Norte e do Sul, por meio das muitas janelas e sobrevoo das cidades natais dos tripulantes, assim como experiências de pesquisas sobre como cultivar alimentos em órbita, que poderão ser levados para casa como lembrança, e de realidade virtual no holodeck (sala com projeções para simulação de experiências sensoriais reais, surgida no seriado “Star Trek”). Também haverá transmissão ao vivo do retorno para casa, por meio de acesso sem fio à internet de alta velocidade.

SAIBA MAIS: Saiba como Neil Armstrong se comunicou com a Terra enquanto estava no espaço

Os hóspedes estarão 321 quilomêtros acima da superfície terrestre em Low Earth Orbit, ou LEO, onde é possível ter uma vista deslumbrante do nosso planeta. Durante a viagem, o Aurora completará uma volta em torno da Terra a cada 90 minutos, o que significa que as pessoas a bordo irão presenciar uma média de 16 amanheceres e entardeceres a cada 24 horas.

Para o fundador da Orion Span, a “estação tem vários usos além de servir como um hotel”. Ele acrescenta: “Vamos oferecer fretamento completo para agências espaciais que procuram por voos tripulados em órbita e apoiaremos pesquisas em gravidade zero, assim como de ampliação do espaço. Nossa arquitetura permite facilmente crescer de acordo com a demanda do mercado, como uma cidade que cresce em direção ao céu. Futuramente, venderemos módulos dedicados como os primeiros condomínios do mundo no espaço. Futuros proprietários poderão morar, visitar ou sublocar seu condomínio espacial. Esta fronteira é emocionante”.

O anúncio vem após o lançamento do Falcon Heavy, de Elon Musk, no Centro Espacial Kennedy, em fevereiro, e já são aceitas reservas para uma futura estadia na Aurora Station, que tem lançamento previsto para o final de 2021 e hospedagem dos primeiros passageiros em 2022. O investimento, reembolsável, é de US$ 80.000 por pessoa e pode ser feito online, aqui.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).