Sentar-se por muito tempo é tão ruim para o cérebro quanto para o corpo

Sentar-se por muito tempo é tão ruim para o cérebro quanto para o corpo - iStock
Os danos cerebrais causados pelo excesso de tempo em repouso vão desde a redução da plasticidade e do nascimento de novos neurônios, ao aumento de inflamações

Se você não acredita que sentar é uma das piores coisas que podemos fazer pela nossa saúde, um novo estudo deve fazer você pensar o contrário. Uma pesquisa promovida pela Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) concluiu que se sentar é um risco para a nossa saúde física e neurológica e que as pessoas mais sedentárias têm afinamento nas regiões cerebrais ligadas à memória, algo que mesmo altos níveis de exercício físico parecem não conseguir reverter. Os resultados foram publicados na revista especializada “PLOS ONE”.

SAIBA MAIS: Novo estudo mostra os perigos de passar muito tempo sentado

O estudo analisou as conexões entre sentar e se exercitar e a espessura do lobo temporal medial envolvido na formação da memória, bem como em suas sub-regiões. Os participantes, com idades entre 45 e 75 anos, responderam a perguntas sobre o tempo médio que passaram sentados na última semana e o quanto se exercitaram, em intensidades baixas, médias e altas, no mesmo período. Algumas medidas físicas foram tomadas, e os cérebros, então, foram analisados digitalmente, por meio de ressonância magnética.

Os autores escrevem em seu artigo que “é possível que o comportamento sedentário seja um preditor mais significativo da estrutura cerebral, especificamente, a espessura [do lobo temporal medial] e que o exercício, mesmo em níveis mais elevados, não seja suficiente para compensar os efeitos nocivos de se sentar por longos períodos de tempo”.

Pesquisas anteriores já sugeriram que o tempo gasto sentado pode estar ligado à piora do desempenho cognitivo, o que poderia ser um sintoma das mudanças pelas quais o cérebro passa. O estudo promovido pela UCLA, agora, sugere que investir na redução da quantidade de pessoas sentadas pode ser uma intervenção mais eficaz do que só estimular a prática de exercícios.

VEJA TAMBÉM: Os melhores exercícios para aumentar o seu potencial a cada idade

E por que se sentar afeta a saúde do cérebro dessa maneira? Há vários mecanismos potenciais, que incluem redução da plasticidade e do nascimento de novos neurônios e aumento de inflamação.

Numerosos estudos descobriram que ser sedentário está ligado a uma série de doenças físicas, de infarto a câncer e morte prematura. A American Heart Association, ao falar sobre os perigos de ficar sentado tempo demais, sugeriu o slogan: “Sente-se menos, mova-se mais”. O que também pode ser verdade para a saúde do cérebro.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).