6 bons motivos para visitar Indianápolis

Há 102 anos, no fim de semana do Memorial Day (feriado norte-americano anual, sempre na última segunda-feira de maio), norte-americanos de todo o país dedicam sua atenção à Indianápolis. Nesta época, a cidade recebe o maior evento esportivo do mundo, o Indy 500, que atrai mais de 300 mil fãs.

LEIA MAIS: 10 cidades mais visitadas do mundo

Mas, assim que o campeão de 2018 for coroado, Indianápolis ainda estará lá para viajantes de negócios e lazer. A cidade tem uma cena gastronômica explosiva e acessível, tão barata quanto qualquer destino urbano nos Estados Unidos, muitas atrações que valem a pena, uma série de eventos especiais, vários novos hotéis e atividades ao ar livre. Se é um destino tão incrível, por que não ouvimos mais sobre Indianápolis? Por que a cidade não recebe mais atenção da mídia?

Isso está começando a mudar. Do ponto de vista comercial, a cidade tem se saído muito bem no que diz respeito a reuniões de trabalho e convenções, e compete em pé de igualdade com lugares maiores e mais estabelecidos como Miami, Nova Orleans e Dallas. O excelente aeroporto, uma instalação de última geração de US$ 1,1 bilhão, foi construído em um novo local há apenas alguns anos.

O renascimento da cidade inteira foi ótimo para turistas de todos os tipos, colocando muitas facilidades a uma curta distância dos visitantes. Além disso, o baixo custo e a alta qualidade de vida são as razões pelas quais Indianápolis recentemente entrou na lista de candidatos à nova sede da Amazon (e está entre as 20 finalistas de um total de 238 cidades participantes), a HQ2, ao lado de Chicago, Denver, Los Angeles, Nova York, Boston, Austin, Washington D.C. e Atlanta.

Do ponto de vista de lazer, não foi nenhuma surpresa quando, no ano passado, a revista “Travel + Leisure” elegeu a cidade como um dos 50 melhores lugares para se viajar em 2017 – ao lado de Bermudas, Cidade do Cabo, Honolulu, Jackson Hole e Madagascar. “A cidade quebrou as expectativas ao redor dos restaurantes do meio-oeste há alguns anos e, com os hotéis da bandeira 21c, Ironworks e a marca de artigos para casa West Elm, Indianápolis está prestes a se tornar o próximo grande destino dos Estados Unidos”, disse a publicação. A rival “Conde Nast Traveler” a nomeou para a lista dos 10 destinos mais badalados de 2018, citando uma explosão de 256% em um ano nas reservas do Airbnb.

Veja, na galeria de fotos a seguir, 6 razões para visitar Indianápolis:

  • 1. Esporte

    Como uma cidade construída em torno de esportes com plateia, a Indy 500 continua sendo o destaque principal e o turismo em volta dela só cresce. Quando se fala sobre experiências muito desejadas, certamente a prova está na lista de muitos fãs de esportes, e esse evento anual atrai multidões há mais de um século. Mas considere algumas das outras competições realizadas por lá. O centro da cidade, entre o Lucas Oil Stadium, onde os Colts (time de futebol americano da NFL) jogam, e o Bankers Life Field House, lar dos Pacers (time de basquete da NBA), foi projetado para ser interditado e servir como espaços para jogos.

    O fato de os dois estádios estarem a uma curta distância da maioria dos melhores hotéis é outro ponto positivo. Indianápolis é também é a única cidade a receber regularmente o Final Four do Campeonato de Basquetebol Masculino da NCAA, tanto masculino quanto feminino, no Lucas Oil (a própria sede da NCAA fica lá). A mais nova adição à rota é o Campeonato Nacional de Futebol Americano Universitário, que deixará o Sul e o Oeste do país pela primeira vez em 2022. Isso consolida um período de 13 meses em que a sediará o All-Star Game da NBA, o Final Four masculino, os campeonatos de futebol e basquete Big Ten – além da Indy 500, NASCAR e temporadas completas do Colts e Pacers.

  • 2. Gastronomia

    Venha para os grandes jogos e fique pela excelente comida. O site culinário “Thrillist” nomeou Indianápolis uma das sete cidades norte-americanas mais impressionantes de 2017 pela gastronomia. No mesmo ano, a revista “Food & Wine Magazine” a colocou entre uma das 20 cidade gastronômicas dos EUA. De alimentos típicos da região do Centro-Oeste, como sanduíches de contrafilé, ao menu japonês omakasê, a cidade está tendo seu momento de destaque gastronômico. A ex-advogada e candidata à rainha da culinária da cidade, Martha Hoover, tem cerca de dez restaurantes de conceitos variados. O mais recente, Crispy Bird, serve um delicioso frango frito feito com uma espécie de raça e inspiração francesa criada em uma fazenda de Indiana.

    Kimbal Musk – talvez o mais rico chef de cozinha, parceiro de negócios de seu famoso irmão Elon, da Tesla e SpaceX – levou duas locações do seu restaurante saudável do Colorado para Indianápolis. O famoso piloto de carros de corrida AJ Foyt e sua família abriram, recentemente, um bar de vinhos e tapas em frente ao museu Indianapolis Motor Speedway, o famoso “Brickyard”.

  • 3. Preços

    Todo mundo gosta de um bom negócio e, ao visitar Indianápolis, parece que tudo está em promoção. Segundo o conselho de turismo local, nos últimos 12 meses a média de diárias de hotéis foi de US$ 112, uma pechincha se comparada à de áreas metropolitanas como Nova York, Chicago, São Francisco ou Boston, e também mais acessível que Nashville, Austin, Denver, Cincinnati, Kansas City ou Minneapolis.

  • 4. Churrasco

    Na pressa de elogiar a culinária e os coquetéis, os críticos do país ignoraram o fato de que Indianápolis é uma das grandes cidades de carnes vermelhas dos Estados Unidos, especialmente devido ao seu tamanho. O lendário St. Elmo’s, restaurante mais famoso da cidade, é a churrascaria preferida dos turistas desde 1902 e famosa por seu exclusivo coquetel de camarão com molho ultra-picante. O local ganhou o Prêmio James Beard e sua adega, com milhares de garrafas, foi condecorada com o prêmio de excelência da “Wine Spectator”. Na mesma rua encontra-se o Harry & Izzy’s, um spin-off do St. Elmo criado por alguns dos parceiros originais do restaurante e novatos, como o ex-astro do Colts, Peyton Manning, com uma atmosfera mais moderna e um cardápio clássico de churrascaria. Muito popular em Indianápolis, tem duas unidades, incluindo uma no aeroporto, e também serve o coquetel de camarão mundialmente famoso do St. Elmo’s.

  • 5. Golfe

    Um dos segredos mais bem guardados de Indianápolis é o seu cenário de golfe, pelo menos no que vai além de Crooked Stick, onde John Daly ganhou o seu primeiro torneio. Crooked Stick é onde o mais premiado arquiteto de campos de golfe de todos os tempos, Pete Dye, nativo de Indiana, vive e usa de base para espalhar sua presença na cidade toda. O lugar mais famoso é o Brickyard Crossing, um campo de golfe no qual seu layout fantasticamente divertido funciona dentro e ao redor do Indianapolis Motor Speedway. É uma experiência única, além de ser um ótimo lugar para jogar. Segundo a proposta de valor de Indianápolis, o máximo que você pode pagar é US$ 110 com carrinho, o que é um ótimo negócio. Ele é o destaque do Pete Dye Golf Trail, sete campos públicos projetados por ele em toda Indiana, três dos quais estão na cidade. Brickyard Crossing é o melhor, mas também há Maple Creek e The Fort, o favorito do arquiteto. Para jogadores ávidos, vale a pena ir até o French Lick Resort, no Sul do estado, lar do design mais desafiador de todos os tempos de Dye, que sediou o Senior PGA, e um campo projetado por Donald Ross, que sediou o Campeonato PGA e continua sendo um dos locais importantes mais acessíveis abertos ao público.

  • 6. Atrações únicas

    O que mais Indianápolis oferece? Experimente o Newfields, o circuito de arte que inclui o Indianapolis Museum of Art, que possui a mais abrangente coleção de pinturas neo-impressionistas da nação, galerias sobre Ásia, Grécia antiga e América do Sul, além de obras-primas de Rembrandt, Cézanne, Picasso, O’Keefe, Hopper e Lichtenstein; a Lilly House, a antiga propriedade privada do fundador da farmacêutica Lilly e um sítio histórico nacional; e o Parque de Arte e Natureza Virginia B. Fairbanks. Você conhece aquelas famosas estátuas vermelhas com a palavra “love” instaladas em várias cidades ao redor do mundo? São reproduções do original, de três toneladas, do artista Robert Indiana, que fica lá.

    O Mercado da Cidade de Indianápolis merece uma visita, com duas dúzias de vendedores de alimentos locais focados nas produções da região Centro-Oeste e uma sala de cervejas artesanais com 19 versões fabricadas no estado. As catacumbas sob o mercado são algo que você esperaria encontrar em Roma, com mais de um século e passeios públicos disponíveis 13 sábados por ano. A cidade conta com mais coisas relacionadas à Itália: tem seu próprio canal com gondoleiros no centro. Você também pode alugar pedalinhos ou desfrutar de uma caminhada de quase 5 quilômetros de ida e volta de um canal para pedestres, ou praticar yoga em um domingo de manhã quente. Se você viu o filme “Tubarão”, você pode estar familiarizado com a história do USS Indianápolis, que afundou no caminho de volta de uma missão secreta que entregou as bombas atômicas ao teatro japonês na Segunda Guerra Mundial. Mas, para realmente aprender essa incrível história, visite o USS Indianapolis Memorial.

    O Museu de História Médica de Indiana ocupa o Laboratório de Patologia no antigo campus do Hospital Central do Estado, e ainda exibe as tabelas de autópsia, produtos químicos e equipamentos. O premiado Indianapolis Children’s Museum é frequentemente chamado de um dos melhores do país; famoso pelos dinossauros em tamanho natural que saem das paredes externas. Foi classificado pelo “New York Times” como um dos 10 museus mais legais do mundo em 2018. Também há um pequeno museu dedicado a esportes colegiais na sede da NCAA e outro, especializado em automóveis, no interior do Indianapolis Motor Speedway. Os passeios incluem uma excursão de ônibus ao redor da famosa pista oval.

1. Esporte

Como uma cidade construída em torno de esportes com plateia, a Indy 500 continua sendo o destaque principal e o turismo em volta dela só cresce. Quando se fala sobre experiências muito desejadas, certamente a prova está na lista de muitos fãs de esportes, e esse evento anual atrai multidões há mais de um século. Mas considere algumas das outras competições realizadas por lá. O centro da cidade, entre o Lucas Oil Stadium, onde os Colts (time de futebol americano da NFL) jogam, e o Bankers Life Field House, lar dos Pacers (time de basquete da NBA), foi projetado para ser interditado e servir como espaços para jogos.

O fato de os dois estádios estarem a uma curta distância da maioria dos melhores hotéis é outro ponto positivo. Indianápolis é também é a única cidade a receber regularmente o Final Four do Campeonato de Basquetebol Masculino da NCAA, tanto masculino quanto feminino, no Lucas Oil (a própria sede da NCAA fica lá). A mais nova adição à rota é o Campeonato Nacional de Futebol Americano Universitário, que deixará o Sul e o Oeste do país pela primeira vez em 2022. Isso consolida um período de 13 meses em que a sediará o All-Star Game da NBA, o Final Four masculino, os campeonatos de futebol e basquete Big Ten – além da Indy 500, NASCAR e temporadas completas do Colts e Pacers.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).