Pesquisa revela que é bom dormir mais no fim de semana

Pesquisa revela que é bom dormir mais no fim de semana - iStock
Se você for privado de sono pela correria diária, durma mais aos finais de semana.

Não é ótimo quando uma pesquisa científica justifica o que você, de qualquer forma, já faria? Se você planejou repor o sono acumulado pela rotina no final de semana, um estudo publicado no “Journal of Sleep Research”, vai ajudá-lo a dormir melhor – e sem culpa.

VEJA TAMBÉM: 3 dicas para aumentar seu nível de concentração

Estudos preliminares mostram uma correlação entre dormir pouco durante a noite (menos de 5 horas) e um risco maior de morte. Mas, além de manter você acordado e com medo, a pesquisa não contribui para mudar a rotina de descanso. Afinal, você não pode se dar ao luxo de dormir todos os dias sem preocupações com o horário de acordar. A menos que você venda seus filhos, não dê a mínima para suas aulas ou falte ao trabalho. Entretanto, provavelmente sua esperança é poder repor o sono atrasado em dias de descanso. Seria esse o sono como em Game of Thrones, onde no final você recuperar o que foi perdido?

Potencialmente sim, de acordo com as pesquisas da Stockholm University e do Karolinska Institute na Suíça. Um time de especialistas (Torbjörn Åkerstedt, Francesca Ghilotti, Alessandra Grotta, Hongwei Zhao, Hans‐Olov Adami, Ylva Trolle‐Lagerros e Rino Bellocco) analisou dados coletados de pessoas que foram acompanhadas por 13 anos.

Sem surpresas, pessoas abaixo de 65 anos, que dormiram por cinco horas ou menos nos finais de semana, tinham 52% a mais de chances de morrer do que os que dormiram por, pelo menos, sete horas em cada dia do final de semana. O interessante é que pessoas que dormiam menos de cinco horas por noite durante a semana, mas conseguiam dormir sete aos finais de semana, não registraram risco de morte maior do que aquelas que conseguiam ter sete horas de sono todos os dias. Em contrapartida, os que registraram apenas cinco horas diárias de sono apresentaram 65% a mais de risco de morte. Já dormir menos de oito horas por dia foi associado ao aumento de 25% do risco de morte.

Pelo menos, é isso que este estudo sueco sugere. Como o levantamento tem como base resultados observacionais, só pode mostrar associações e não provar causa e efeito. Muitos outros fatores podem estar afetando tanto a quantidade de sono quanto o risco de morte. Talvez as pessoas que dormem menos todos os dias tenham mais instabilidade profissional e questões pessoais do que aquelas que, pelo menos, podem dormir aos finais de semana, por exemplo.

E AINDA: 10 hábitos para melhorar o sono

Além disso, os resultados de um estudo sueco não se aplicam necessariamente em todos os lugares. No período observado, a Suécia poderia estar enfrentando circunstâncias muito diferentes em comparação a outros lugares do mundo. Finalmente, este é um estudo e não um check up completo ou análise de vida. Desta forma, por suas particularidades, os resultados podem não se aplicar necessariamente a você.

Portanto, adie as conclusões definitivas por enquanto. É preciso mais pesquisa para determinar se os fins de semana podem permitir que você compense os pecados da semana (em oposição a outras situações em que os dias da semana compensam os pecados do fim de semana). Os especialistas devem examinar com mais cuidado o que realmente acontece com cada pessoa para resolver as reais causas e efeitos. Também seria útil realizar o estudo em outras regiões do mundo.

No entanto, não há nada como acordar, consultar o relógio e ver que são duas horas mais tarde do que você costuma se levantar (exceto ver que são três horas depois disso). Dormir o suficiente nos fins de semana é, provavelmente, melhor do que nunca dormir o suficiente. Então, se você for privado de sono pela correria diária, durma mais aos finais de semana. É claro que uma das preocupações pode ser a de que o sono prolongado nos finais de semana possa prejudicar seu ciclo de sono em dias úteis. Mas isso não significa que você deva continuar a se privar dele nos dias de descanso. Nunca dormir o suficiente não é nada bom.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).