Listas

Helicópteros mais cobiçados do Brasil

Usuários da quarta maior frota de helicópteros do mundo, vários empresários brasileiros adicionam à vantagem de ganhar tempo voando o prazer de pilotar. Veja a seguir os quatro helicópteros mais desejados pelos brasileiros:

  • Com capacidade para três passageiros além do piloto, esse pequeno e valente monomotor fabricado pela Textrone americana é um “helicóptero de entrada” e a aeronave número um no ranking de preferência dos que debutam nos céus. “O custo operacional por quilômetro voado de helicópteros monomotores a pistão é menor que o dos monomotores a turbina”, explica Alexandre Valli Pluhar, que comprou há dois anos seu R-44 Raven II novinho em folha. “Além disso, o motor Lycoming IO-540 com injeção eletrônica de combustível é outro trunfo dessa versão, mais potente que as anteriores, equipadas com carburador.” Segundo o empresário, embora não opere por instrumentos é uma aeronave extremamente versátil e de baixa manutenção. “Estou extremamente satisfeito com o aparelho”, elogia Valli. Preço: a partir de US$ 670 mil (R$ 1,47 milhão). Inclui frete, impostos e documentação da ANAC. www.robinsonheli.com

  • Uma das aeronaves mais desejadas hoje por conhecedores como o empresário César Federmann, do Grupo Senpar, esse helicóptero de dupla turbina da fabricante anglo-italiana Agusta é a versão atualizada e tecnologicamente mais moderna dos conceituados modelos da linha Grand. Com capacidade para transportar sete passageiros e mais o piloto, tem autonomia de três horas de voo (ou 859 km), podendo alcançar 289 km/h de velocidade máxima. “Além do alto desempenho e da tecnologia de ponta embarcados, é um helicóptero perfeito para o executivo que não pode perder reuniões, já que voa por instrumentos e tem autorização para pousar em qualquer heliponto homologado, incluindo os noturnos, em qualquer parte do país”, destaca Federmann. De acordo com o fabricante, o cockpit do Agusta Grand New pode ser todo customizado. Além do revestimento de couro e carpete nas cores desejadas, a aeronave pode receber entrada USB, conexão para tablets e celulares ou câmeras com capacidade de envio de imagens on-time do próprio voo para telas de DVD colocadas na cabine de passageiros, por exemplo. Para 2015, a empresa lançará o AW169, modelo que, entre outras inovações, inclui os chamados assentos “casulo”, anatômicos e mais alongados. Além da beleza e conforto extras, eles também são cambiáveis, isto é, podem mudar de posição (ser colocados frente a frente para uma reunião, por exemplo) ou até ser retirados da aeronave, de acordo com as necessidades de privacidade e de funcionalidade em cada voo. O projeto, de linhas futuristas, é assinado pela designer italiana Francesca Lanzavecchia. Preço estimado no mercado internacional: US$ 7,5 milhões (R$ 16,5 milhões). (*) Valor não confirmado pela Agustawestland no Brasil. www.agustawestland.com

  • Trata-se de um modelo biturbina, com reduzido nível de ruído e capaz de realizar viagens longas com todo o conforto para os ocupantes. Os materiais usados em seu acabamento, informa a empresa, são exclusivos, selecionados especialmente para a aeronave e incorporados ao helicóptero no Brasil. Tem uma cabine ampla, com excelente visibilidade e acessibilidade e que pode ser configurada de acordo com as necessidades do cliente. Existe a opção de que tal cabine seja convertida em uma sala de estar ou de reunião. O EC155 B1 combina beleza e funcionalidade em seu elegante desenho. O conjunto do rotor principal (localizado em uma posição mais alta) e o rotor de cauda – envolto em um exclusivo sistema da europeia Airbus Helicopters chamado Fenestron – garante maior segurança ao embarque de passageiros e à equipe de terra. As portas largas do EC155 B1 facilitam o acesso à cabine, e o amplo compartimento de bagagem pode ser alcançado a partir de ambos os lados da aeronave, permitindo carga e descarga rápida de bagagens volumosas. Por sinal, o helicóptero dispõe de um dos maiores bagageiros de sua categoria. Tem capacidade máxima de transporte de 15 pessoas (dois tripulantes e 13 passageiros), velocidade de cruzeiro de 278 km/h, alcance máximo de 784 km e autonomia de voo de 4h03. Preço: sem impostos, US$ 16 milhões www.helibras.com.br

  • Essa aeronave da americana Bell Helicopter está na lista dos sonhos de consumo de dez entre dez executivos. Considerado o biturbina leve (IFR) mais avançado hoje do mercado, também é um campeão de vendas por seu baixo custo operacional. Além de esbanjar rapidez e segurança, seus poderosos e ultraconfiáveis motores Pratt & Whitney PW 207 D1, de alta performance, com 1.100 Hp cada um, chegam a atingir 280 km/h de velocidade máxima. A cabine, com capacidade para sete passageiros além do piloto, permite a configuração de uma ampla sala de reuniões, podendo ser personalizada de acordo com a necessidade do proprietário com a troca de posição das poltronas. O modelo 429 WLG (Wheels Landing Gear), a versão mais atualizada da Bell, apresenta, dentre outras inovações, sistema de aproximação de pouso vertical em piloto automático. Para maior conforto e segurança dos que podem adicioná-la ao carrinho de compras, tem também cabine equipada com telas digitais de LCD de última geração, piloto automático de quatro eixos e homologação para voar por instrumentos com apenas um piloto (Single Pilot IFR). Preço: U$ 5,8 milhões ou R$ 12,8 milhões (sem impostos). www.bellhelicopter.com

Com capacidade para três passageiros além do piloto, esse pequeno e valente monomotor fabricado pela Textrone americana é um “helicóptero de entrada” e a aeronave número um no ranking de preferência dos que debutam nos céus. “O custo operacional por quilômetro voado de helicópteros monomotores a pistão é menor que o dos monomotores a turbina”, explica Alexandre Valli Pluhar, que comprou há dois anos seu R-44 Raven II novinho em folha. “Além disso, o motor Lycoming IO-540 com injeção eletrônica de combustível é outro trunfo dessa versão, mais potente que as anteriores, equipadas com carburador.” Segundo o empresário, embora não opere por instrumentos é uma aeronave extremamente versátil e de baixa manutenção. “Estou extremamente satisfeito com o aparelho”, elogia Valli. Preço: a partir de US$ 670 mil (R$ 1,47 milhão). Inclui frete, impostos e documentação da ANAC. www.robinsonheli.com

Topo