Listas

20 nomes de maior destaque entre os 30 abaixo de 30

Há quatro anos, FORBES divulga a lista “30 abaixo de 30”, com os nomes de mais destaque em 20 categorias, como entretenimento, energia, comércio e varejo, e comidas, entre outras.   O ranking de 2015, além de contar com a avaliação de diversos jurados como Susan Wojcicki, CEO do Youtube, vem com um novo critério: membros que já apareceram em listas anteriores não podem repetir na deste ano, ou seja: todos os nomes da “30 abaixo de 30” de 2015 são novos e exclusivos.   Veja na galeria de fotos o primeiro lugar de cada categoria.

  • Quando criança, Blake idolatrava Martha Stewart e esperava criar sua própria marca. Mas quando um papel de protagonista em “Gossip Girl” surgiu aos 19 anos, ela adiou seus sonhos empresariais para perseguir os holofotes. Oito anos mais tarde, estabeleceu-se como uma das estrelas mais brilhantes de Hollywood.

  • Em 2012, um primo com então 6 anos desafiou Alex Klein, 24 anos, a inventar um kit de computador tão simples e divertido de construir como o Lego. Isso virou uma obsessão e se transformou no Kano, um brinquedo baseado em uma placa de computador. Guias de histórias ilustradas mostram para as crianças como projetar jogos como Pong e Snake, cortar Minecraft e criar websites, música, arte e muito mais. Até o momento já vendeu mais de 20 mil kits em todo o mundo.

  • No sul do Texas os operadores podem extrair petróleo por US$ 40 o barril, e essa oportunidade atraiu uma nova geração de empreendedores de energia como Brennan Potts, 29 anos, que se uniu com dois veteranos de petróleo e gás mais velhos para formar a Titanium Exploration Partners em 2014. A empresa levantou US$ 300 milhões em financiamento de capital privado e acumulou participações em mais de 25.000 hectares e 100 poços.

  • Muitas vezes os dados médicos são escritos à mão, o que evita a possibilidade de usar computadores para analisar todas as interações entre um médico e um paciente. A resolução deste problema vem de Nat Turner, um empreendedor que vendeu uma empresa no passado para o Google por supostos US$ 81 milhões. Turner, 28 anos, e seu cofundador, Zach Weinberg, começaram duas empresas juntas antes da Flatiron. Melhorar os cuidados do câncer parece uma causa digna. Médicos pagam para usar o sistema de análise de dados, mas a grande receita virá de vender o que a Flatiron aprende conforme é acessada. A empresa levantou US$ 138 milhões de apoiadores, incluindo US$ 100 milhões do Google.

  • Phan é um fenômeno do Youtube. Após o segundo divórcio de sua mãe, ela teve de dormir no chão de seu apartamento apertado. Quando tinha 15 anos, começou a escrever um blog que descrevia a vida que desejava ter, com muito dinheiro e tempo de sobra para se enfeitar. Em 2007, duas leitoras pediram dicas de maquiagem e ela fez um pequeno vídeo e postou no Youtube. O vídeo teve mais de 400.000 visualizações por semana. Em 2012, sua popularidade na internet explodiu e ela começou a ipsy, uma empresa de cosméticos de subscrição com expectativa de gerar US$ 120 milhões em receitas neste ano. Hoje, com 27 anos, ela também tem uma linha de maquiagem da L’Oréal.

  • Quando tinha 10 anos e crescia no Novo México, Nevada Sanchez disse a seus pais que queria começar uma empresa de tecnologia quando ficasse mais velho. Disseram-lhe para ir para o MIT. Oito anos mais tarde, ele fez exatamente isso e começou a trabalhar no laboratório de Max Tegmark, um físico que projetou radiotelescópios. Tegmark foi abordado por Jonathan Rothberg, um dos criadores do sequenciamento de DNA de última geração. Rothberg queria usar o telescópio de tecnologia de rádio para criar dispositivos de ultrassom que poderiam ler imagens do corpo com mais precisão e, eventualmente, usar as ondas sonoras para realizar a cirurgia. Ele se tornou o funcionário número um da Rede Butterfly, e hoje, com 26 anos, já levantou US$ 100 milhões em financiamento e seu primeiro dispositivo deve chegar ao mercado no próximo ano.

  • Advogados gastam cerca de 30% do seu tempo em pesquisas sobre casos anteriores e maneiras de tornar seus argumentos mais convincentes. Durante décadas, o mercado de investigação jurídica foi dominado por Westlaw e LexisNexis. Faltava inovação. Ao lado do cofundador, Nik Reed, Lewis, 28 anos, levantou quase US$ 10 milhões em investimentos e lançou a Ravel, que usa dados de visualização para agilizar e melhorar o processo de investigação. Depois de apenas dois anos no mercado, a ferramenta já é usada em cerca de metade dos maiores escritórios de advocacia dos EUA e em 20 faculdades de direito.

  • Oprah é assinante do serviço, assim como Sarah Jessica Parker. Elas não estão sozinhas: mais de um milhão de pessoas, 20% homens, recebem “notícias que você precisa saber” do theSkimm em sua caixa de email todas as manhãs. No ano passado, elas, ambas com 28 anos, elevaram consideravelmente o seu quadro de funcionários e fecharam uma parceria com a Oprah.com. “Nosso objetivo é fazer uma marca de estilo de vida de notícias.”

  • Caviar é um serviço premium que entrega comida e, segundo Wang, o melhor da cozinha à sua porta por uma taxa fixa de US$ 4,99. Hoje, a empresa de Wang, 28 anos, opera em 15 cidades em toda a Califórnia e cresceu muito em número de funcionários nos últimos 12 meses.

  • Pedir aos clientes para “pagar o que você quer” parece ser uma boa maneira de matar um negócio. Mas a loja de jogos digitais de Jeffrey Rosen, 28 anos, faz exatamente isso – e ele ganha dinheiro. Quando o Bundle Humble começou a vender coleções de baixo orçamento em 2010, ele convidou seus clientes para dar seu preço e especificar como o pagamento devia ser dividido, entre o criador, loja e uma instituição de caridade pré-selecionada. “Nós deixamos as pessoas darem tudo para a caridade se quiserem”. Em dezembro, a empresa anunciou que levantou mais de US$ 50 milhões para caridade nos últimos quatro anos.

  • Alan Schaaf odiava o tedioso processo de compartilhar imagens na internet. Em 2009, enquanto ainda era estudante da Universidade de Ohio, construiu em duas semanas um transferidor de dados simples, Imgur, e compartilhou com a comunidade on-line Reddit. Foi um sucesso. Hoje em dia, o Imgur é a maior plataforma de imagens da internet com 150 milhões de visitantes e 5,5 bilhões de visualizações todo mês.

  • Para muitos, Austin McChord e sua empresa são como anjos da guarda. Isso porque a Datto oferece back-up de emergência e proteção de dados para companhias grandes que esperam que, no caso de um imprevisto, estejam on-lines o mais rápido possível. Foi o que aconteceu quando o furacão Sandy atingiu uma área comercial de Nova York – a Datto colocou as empresas de volta on-line em questão de minutos. Essa velocidade e segurança se traduzem em seu crescimento: são quase US$ 100 milhões em vendas e mais de 330 funcionários.

  • Criar embalagens ecológicas a partir de cogumelos pode parecer coisa de filme de ficção científica, mas é exatamente o que Eben Bayer faz na Ecovative. Bayer fundou a empresa em 2010, com o amigo Gavin McIntyre, e desde então já arrecadou mais de US$ 14 milhões em investimentos, atendendo pedidos de empresas como Dell e Steelcase. O processo usa o micélio, as “raízes” mais profundas dos fungos como o cogumelo, para criar um material forte o bastante para proteger seu computador durante viagens, mas que não irá passar 10.000 se decompondo na natureza. Além disso, este extrato do cogumelo custa a mesma coisa – até menos – dos que as espumas e outro matérias para embalagens.

  • Então assistente nas revistas de moda W Magazine e Vogue, Emily começou um blog sobre moda e beleza, Into the Gloss, como um projeto paralelo aos estágios em 2010. O site rapidamente se tornou queridinho entre os fashionistas, para então se tornar um fenômeno mundial: são 10 milhões de visualizações na pagina por mês. Após três anos entrevistando celebridades e personagens da moda sobre seus hábitos de beleza e testando centenas de produtos, Emily descobriu um nicho vazio na indústria: produtos que pareçam luxuosos mas sem extravagancias, acessíveis. Após arrecadar US$ 2 milhões em investimento e de contar com a ajuda de especialistas de empresas importantes como Google e MAC, Emily lançou a Glossier, linha de produtos de beleza com contato direito com o consumidor.

  • Em seus meses iniciais, o Facebook era a “terra prometida” dos publicitários. Apesar do incrível potencial, ainda era difícil entender o tamanho das oportunidades para as marcas ou medir a eficiência de certas propagandas nas redes socais. Jan Rezab quis trazer ordem a este caos. A Socialbakers é uma empresa de analíticas de mídias sociais, que já arrecadou mais de US$ 34 milhões em investimentos. Com base em Praga, na República Checa, a companhia ajuda a monitor o impacto das marcas nas redes socais, além de ter o maior banco de dados de analíticas do assunto. São mais de 300 funcionários, 11 escritórios ao redor do mundo e 2.500 clientes como Nestlé, Lenovo e Western Union.

  • Todo ano, US$ 5 bilhões em remédios são jogados fora nos EUA, geralmente por hospitais e casas de repouso quando o paciente para quem foram prescritos morreu ou não precisa mais dos medicamentos. Enquanto isso, mais de 50 milhões de norte-americanos não tomam seus remédios, a maioria pelo alto valor dos produtos. Pensando nisso, Kiah Williams, em parceira com Adam Kircher e George Wang, desenvolveu o SIRUM, organização sem fins lucrativos que liga estes remédios sem uso aos pacientes que precisam dele. A empresa trabalha com 12 instituições de saúde e já distribui US$ 3 milhões em medicamentos para 20.000 pessoas.

  • Em uma tarde de sexta-feira em 2008, Israel recebeu um importante telefonema o informando sobre uma vaga na empresa de gerencialmente financeiro Pershing Square, do bilionário William Ackman. Ao serem apresentados, ficaram amigos graças ao amor compartilhado por ações – e pelo investidor norte-americano Warren Buffet. Dali pra frente, Israel foi uma peça-chave na compra do grupo Burger King e representa a firma em diversos conselhos financeiros.

  • Desde quando o legendário programador e empreendedor Paul Graham fundou a Y Combinator em 2005 com mais três parceiros, o projeto já fundou e treinou mais de 730 startups. Quase 30 delas atualmente têm valor de mercado superior aos US$ 100 milhões e outras, como Dropbox e Stripe, valem bilhões. Quando Graham decidiu deixar a presidência, a escolha do jovem Sam Altman surpreendeu. Altman, que assumiu o comando da empresa oficialmente em fevereiro de 2014, tem grandes planos para a próxima década da Y Combinator.

Quando criança, Blake idolatrava Martha Stewart e esperava criar sua própria marca. Mas quando um papel de protagonista em “Gossip Girl” surgiu aos 19 anos, ela adiou seus sonhos empresariais para perseguir os holofotes. Oito anos mais tarde, estabeleceu-se como uma das estrelas mais brilhantes de Hollywood.

Topo