10 atrações turísticas mais populares da Inglaterra

Embora não haja uma estatística oficial, Londres talvez seja a cidade com maior densidade de pontos turísticos do mundo. Para os turistas de primeira viagem, a capital inglesa pode parecer um parque de diversões. Mas nem mesmo a grandiosa roda-gigante às margens do rio Tâmisa é páreo para os museus, galerias e centros de artes espalhados por lá.

Segundo o Association of Leading Visitor Attractions (grupo formado pelas atrações mais famosas da cidade), os museus e galerias viram seu número de visitantes subir quase 6,5% em 2014. Muito disso tem a ver com exposições aguardadas, como a do estilista Alexander McQueen no Victoria and Albert Museum.

Apesar de o ranking englobar todo o território nacional, apenas a Biblioteca de Birmingham fica fora da capital. O primeiro lugar da lista fica com o British Museum, que recebeu mais de 6,7 milhões de pessoas em busca de conhecer algum dos objetos mais famosos do mundo, como a Pedra de Roseta, que fazem parte do acervo do museu.

Conheça na galeria 10 atrações turísticas mais populares da Inglaterra:

  • Mas ninguém é páreo para o British Museum, que recebeu 6,7 milhões de visitantes durante o ano passado. O museu guarda alguns dos objetivos mais famosos do mundo, com a Pedra de Roseta, os mármores de Elgin e diversas múmias egípcias.

  • A National Gallery guarda a coleção inglesa de pinturas desde o século 13 até o 19 – são mais de 2.300 delas. No ano passado, a galeria teve um aumento de 6% no numero de visitantes, com 6,4 milhões de pessoas passando por seus corredores.

  • Em 2014, cerca de 6,2 milhões de pessoas visitaram o Southbank Centre, o colocando no ranking pela primeira vez. Criado em 1951, o centro de artes ocupa 8,5 hectares às margens do Rio Tamisa. Ele engloba o Royal Festival Hall, o Queen Elizabeth Hall, a galeria Hayward, a biblioteca de poesias Saison e shows de diversos estilos musicais, desde clássico até contemporâneo.

  • Com a ajuda de uma aguarda exposição sobre o pintor francês Henri Matisse, a Tate Modern atraiu cerca de 5,7 milhões de pessoas em 2014. O museu, feito de 4,2 milhões de tijolos, ocupa 34.500 m² e atualmente exibe uma mostra sobre África do Sul da artista Marlene Dumas.

  • O Museu de Historia Natural de Londres teve 5,3 milhões de visitantes em 2014, um aumento de 1% em relação ao ano anterior. O museu guarda mais de 80 milhões de espécies diferentes, abrangendo bilhões de anos de evolução.

  • A biblioteca é a única atração da lista que fica fora de Londres. Em torno de 2,4 milhões de pessoas já visitaram o prédio, que foi inaugurado em setembro de 2013. Projetado pela arquiteta Francine Houben, o edifício guarda livros atuais e raros, além de fotos. A Biblioteca também tem uma galeria de arte.

  • Entre agosto e novembro de 2014, a Torre de Londres recebeu 888,246 papoulas de cerâmica em homenagem ao centenário da Primeira Guerra Mundial. Criadas pelos artistas Paul Cummins e Tom Piper, as flores foram vendidas para arrecadar fundos para caridade após serem retiradas.

  • Lar da Semana de Moda de Londres, a Somerset House é um centro cultural de artes e eventos localizado em um clássico edifico às margens do Rio Tâmisa. Foram 2,4 milhões de visitantes durante 2014, um aumento de 3% em relação ao ano anterior.

  • Apesar de ter registrado uma queda de 3% em seus visitantes em 2014, o Victoria and Albert Museum ainda assim atraiu cerca de 3,1 milhões de pessoas. A aguardada exposição sobre o estilista Alexander McQueen foi inaugurada no ultimo sábado (14) e aumentar os números do museu para 2015.

  • Com exposições que vão desde à exploração do espaço até a transformação da comunicação mundial, o Sciente Museum atraiu mais de 3,3 milhões de pessoas no ano passado. Em 2015, um novo centro de pesquisas bibliográficas será aperto e no ano seguinte, uma galeria dedicada à matemática.

Mas ninguém é páreo para o British Museum, que recebeu 6,7 milhões de visitantes durante o ano passado. O museu guarda alguns dos objetivos mais famosos do mundo, com a Pedra de Roseta, os mármores de Elgin e diversas múmias egípcias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).