Listas

15 países com maior tempo de licença paternidade

Quando um brasileiro é pai, ele ganha cinco dias de licença paternidade remunerada para ficar com seu filho e com a mãe da criança, que tem de quatroa cinco meses longe do trabalho.

Na Coreia do Sul o cenário é muito diferente: um homem, quando é pai, tem o direito de ficar 52,6 semanas afastado de seu emprego recebendo salário. Ovalor pago, no entanto, não costuma ser o mesmo de quanto o funcionário está na ativa. No país onde a licença paternidade é a maior do mundo, os vencimentos durante este período representam cerca de31% do salário médio que o trabalhadortinha antes. O Japão tem uma políticasimilar: são 52 semanas de licença e salário equivalente a 58,4% do valor integral.

RANKING: 12 melhores cidades do mundo para mulheres empreendedoras

De acordo com os dados de 2014 da Organização para a Cooperação de Desenvolvimento Econômico (OECD),apesar da facilidade, são poucos os trabalhadores – nos dois países – que decidem por um afastamento tão longo: apenas 2%. Um estudo feito na Coreia do Sul revelou que isso acontece porque os pais acreditam que a tarefa de cuidar da criança é da mulher.

Na Suécia, por outro lado, quase 90% dos homens aproveitam as dez semanas a que têm direito para ficar com seus filhos.

VEJA TAMBÉM: Casais que dividem igualmente responsabilidades dos filhos fazem mais sexo, diz estudo

Veja quais são os 14 países com a licença paternidade mais longa:

  • 1º) Coreia do Sul

    Semanas de licença paternidade remunerada: 52,6

    Pagamento em relação ao salário médio: 31%

  • 2º) Japão

    Semanas de licença paternidade remunerada: 52

    Pagamento em relação ao salário médio: 58,4%

  • 3º) França

    Semanas de licença paternidade remunerada: 28

    Pagamento em relação ao salário médio: 24,2%

  • 4º) Luxembrugo

    Semanas de licença paternidade remunerada: 26,4 (empatado)

    Pagamento em relação ao salário médio: 40%

  • 4º) Holanda

    Semanas de licença paternidade remunerada: 26,4 (empatado)

    Pagamento em relação ao salário médio: 19,3%

  • 6º) Portugal

    Semanas de licença paternidade remunerada: 21,3

    Pagamento em relação ao salário médio: 54,2%

  • 7º) Bélgica

    Semanas de licença paternidade remunerada: 19,3

    Pagamento em relação ao salário médio: 25,7%

  • 8º) Noruega

    Semanas de licença paternidade remunerada: 14

    Pagamento em relação ao salário médio: 90,8%

  • 9º) Islândia

    Semanas de licença paternidade remunerada: 13

    Pagamento em relação ao salário médio: 64,8%

  • 10º) Suécia

    Semanas de licença paternidade remunerada: 10

    Pagamento em relação ao salário médio: 18,9%

  • 11º) Finlândia

    Semanas de licença paternidade remunerada: 9

    Pagamento em relação ao salário médio: 70,7%

  • 12º) Áustria

    Semanas de licença paternidade remunerada: 8,7 (empatado)

    Pagamento em relação ao salário médio: 56,4%

  • 12º) Alemanha

    Semanas de licença paternidade remunerada: 8,7 (empatado)

    Pagamento em relação ao salário médio: 47%

  • 12º) Croácia

    Semanas de licença paternidade remunerada: 8,7 (empatado)

    Pagamento em relação ao salário médio: 34,4%

1º) Coreia do Sul

Semanas de licença paternidade remunerada: 52,6

Pagamento em relação ao salário médio: 31%

Comentários
Topo