Listas

10 maiores investidores de risco dos EUA

Determinação e coragem são duas palavras que parecem um mantra para Jim Goetz, parceiro do Sequoia Capital, novamente no topo da lista FORBES dos 100 melhores investidores de risco. O feito é fruto de sua aposta arriscada no WhatsApp. Goetz esperou meses para conseguir uma reunião com os fundadores da rede social, Jan Koum e Brian Acton, e precisou responder a uma série perguntas antes de conseguir fazer seu primeiro investimento no aplicativo, no final de 2012. Uma vez dentro, ele nunca mais saiu da empresa e, com a venda do WhatsApp para o Facebook, Goetz transformou um investimento de US$ 60 milhões em fantásticos US$ 3 bilhões, em menos de dois anos.

A jogada de mestre, porém, talvez não seja suficiente para garantir o Top 1 no ano que vem. Goetz ganhou um “rival”e tanto, cuja abordagem para roubar seu posto no ranking é um pouco diferente. Steve Anderson, da Baseline Ventures, é o novo nome do Vale do Silício. Primeiro a investir no Instagram, antes mesmo que a rede social tivesse esse nome, tem uma gama de investimentos variada, que vai desde jogos, como a Machine Zone e a OMGPOP; passa por finanças, com a Social Financie; e chega à área de moda, com a Stitch Fix. Sua atuação individual, sem parceiros, facilita as decisões. “Eu, eu e eu mesmo temos muito o que debater”, conta Anderson.

RANKING: Conheça os homens mais ricos do mundo

E se o próximo WhatsApp ainda não surgiu, uma parte da Uber pode ajudar investidores a galgar posições na lista. O bilionário Chris Sacca retornou o terceiro lugar por conta de sua aposta no sucesso do aplicativo. Seu fundo inicial de US$ 8 milhões já está perto de bater os US$ 2 bilhões, depois de a empresa ter sido cotada em US$ 62,5 bilhões.

Ele não foi o único a investir na companhia e se dar bem. Bill Gurley, da Benchmark, ficou no oitavo lugar; Rob Hayes ficou na 27ª posição; Bill Trenchard ficou na 60ª; e John Doerr, da Kleiner Perkins Caufield & Byers, ficou em 22º lugar. Todos eles acreditaram no aplicativo de transporte privativo.

Investimentos no Twitter ajudaram o quarto colocado da lista, Peter Fenton, que, após superar alguns problemas que se arrastavam desde 2013, conseguiu achar sua galinha dos ovos de ouro na rede social de 140 caracteres. Outros oito membros da lista também conseguiram suas posições por conta de apostas na companhia.

MAIS RANKING: Os bilionários da tecnologia

Josh Kopelman aparece na lista, na sexta posição, por seu comprometimento com o LinkedIn, além de outros acertos. O cofundador da rede social Reid Hoffman também aparece na lista. Na 18ª posição, o executivo faz investimentos por meio da Greylock Partners.

Na quinta posição, está a única mulher a atingir uma posição tão alta no ranking: Mary Meeker, da Kleiner Perkins Caufield & Byers. Com investimentos no Facebook, no site chinês de comércio on-line JD.com, na Airbnb e no Spotify, a antiga analista de Wall Street faz parte de um dos times de investidores que mais crescem no Vale do Silício. Mary sinaliza, agora, novos investimentos em outras três empresas: Houzz, Instacart e Slack.

As 10 maiores companhias de investimento são lideradas pela Sequoia Capital. Mesmo tendo acabado de perder um parceiro envolvido em escândalos de litígio, a firma emplacou três de seus membros no Top 10 do ranking, nove na lista inteira. Mesmo que a empresa tenha um representante a menos do que em 2015, a segunda colocada, Accel Partners, saiu perdendo ainda mais, com 3 investidores a menos na lista.

LEIA TAMBÉM: “Maior a crise, maior a oportunidade”, diz cofundador da Uber sobre o Brasil

Quatro companhias emplacaram quatro membros: Adreessen Horowitz, Benchmark, Kleiner Perkins Caufield & Byers e Greylock Partners.

Investidores em planos de saúde e em biotecnologia apareceram em peso na lista deste ano, com Rob Nelsen, da ARCH Venture Partners, retornando ao ranking no 16º lugar. Carl Gordon, da OrbiMed, ficou no final do Top 20.

A China, mesmo passando por uma desaceleração, foi o país que mais recebeu investimentos na área da tecnologia, com 13 das empresas do ranking tendo mandado dinheiro para companhias de lá, como a GGV Capital.

Assim como em 2015, os maiores investidores de risco continuam sendo homens, com somente cinco mulheres na lista.

Metodologia

Com centenas de fundos e um número ainda maior de investidores espalhados pelos Estados Unidos, é muito difícil calcular quem são os maiores do país. FORBES e a TrueBridge Capital Partners coletaram dados públicos de algumas empresas e estudaram outras que se inscreveram na pesquisa. A lista Midas avalia os cinco últimos anos da companhia, procurando por investimentos de até US$ 200 milhões que tenham gerado renda de, no mínimo, US$ 400 milhões. A lista favorece aqueles que tenham investido pequenas quantias que geraram altos retornos.

Veja na galeria de fotos, os 10 maiores investidores de risco dos EUA:

  • 1. Jim Goetz

    Sequoia Capital

  • 2. Steve Anderson

    Baseline Ventures

  • 3. Chris Sacca

    Lowercase Capital

  • 4. Peter Fenton

    Benchmark

  • 5. Mary Meeker

    Kleiner Perkins Caufield & Byers

  • 6. Josh Kopelman

    First Round Capital

  • 7. Neil Shen

    Sequoia Capital

  • 8. Bill Gurley

    Benchmark

  • 9. Doug Leone

    Sequoia Capital

  • 10. Peter Thiel

    Founders Fund

1. Jim Goetz

Sequoia Capital

Comentários
Topo