Listas

20 cidades mais caras para viver e trabalhar

O agente imobiliário Savills comparou o custo total anual do aluguel de casas e escritórios e selecionou cerca de 20 cidades mais caras do mundo. Londres, por exemplo, foi a cidade eleita como a mais cara para se viver e trabalhar em todo o mundo, chegando a custar até mesmo o dobro do que Los Angeles e Sidney. Por ano, uma pessoa precisa de US$ 112.800 (o equivalente a aproximadamente R$ 425.220) para viver na grande cidade inglesa, que já ocupa o primeiro lugar da lista desde junho de 2014.

Das 20 cidades mais caras para se viver e trabalhar, um quarto delas está nos Estados Unidos, sendo Nova York a segunda da lista, logo atrás de Londres, precisando de cerca de US$ 111.300 (cerca de R$ 420.580), para estar diariamente na Big Apple. Mas no geral, o custo médio anual de casa e escritório dentre as 20 cidades é de US$ 57.915 (R$ 155.150), sendo o Rio de Janeiro, a mais acessível.

VEJA MAIS: 40 cidades com melhor qualidade de vida do mundo

O índice da Savills “visa dar aos empregadores uma ideia do custo de acomodação de funcionários ao redor do mundo”. A chefe de pesquisa da companhia, Yolande Barnes, disse: “a produtividade das cidades e seu valor para negócios globais claramente tem efeito de demanda e, portanto, de custos de aluguel”.

As cidades de mais alta classificação quanto a produtividade, como Londres e Nova York, são também as mais caras para se viver e trabalhar. Barnes observa que, sem dúvidas, elas podem alcançar preços justos em relação a pontuação geral das cidades. Todas elas devem continuar a desenvolver a sua oferta, tanto de espaço para empreendedores, quanto para acomodação residencial, para acompanhar a demanda.

VEJA TAMBÉM: Nova York é a cidade com mais bilionários no mundo

Barnes acrescentou: “metrópoles podem se tornar vítimas de seu próprio sucesso, quando rendas sobem ao ponto de que a acessibilidade se torne um problema.” Savills quer ver um aumento na oferta de espaço de trabalho de qualidade alta, observando que este será um desenvolvimento crucial para cidades emergentes, como Rio de Janeiro, Mumbai e Lagos. E estes espaços para o mercado de trabalho não precisam ser arquitetados com estilo, placas de vidro e decoração exuberante. “Em pequena escala, construções informais e próximas aos locais de moradia são apropriadas para a maioria das pessoas em todo o mundo”, Savills argumentou.

O agente imobiliário destaca um grande desafio para as cidades globais: “o crescimento sem perda social, econômica ou ambiental”. Veja na galeria de fotos as 20 cidades mais caras para viver e trabalhar:

  • 1º) Londres

    Custo anual: US$ 112.800 (R$ 425.220)

  • 2º) Nova York

    Custo anual: US$ 111.300 (R$ 420.580)

  • 3º) Hong Kong

    Custo anual: US$ 103.200 (R$ 390.115)

  • 4º) Paris

    Custo anual: US$ 78.200 (R$ 295.100)

  • 5º) Tóquio

    Custo anual: US$ 69.800 (R$ 260.500)

  • 6º) São Francisco

    Custo anual: US$ 66.300 (R$ 250.340)

  • 7º) Lagos

    Custo anual: US$ 63.000 (R$ 240.930)

  • 8º) Cingapura

    Custo anual: US$60.600 (R$ 230.900)

  • 9º) Dubai

    Custo anual: US$ 58.300 (R$ 220.250)

  • 10º) Sidney

    Custo anual: US$ 49.500 (R$ 185.160)

  • 11º) Miami

    Custo anual: US$ 49.000 (R$ 185.300)

  • 12º) Los Angeles

    Custo anual: US$ 48.600 (R$ 182.770)

  • 13º) Moscou

    Custo anual: US$ 48.300 (R$ 180.600)

  • 14º) Chicago

    Custo anual: US$ 44.700 (R$ 170.100)

  • 15º) Xangai

    Custo anual: US$ 43.700 (R$ 165.350)

  • 16º) Dublin

    Custo anual: US$ 36.500 (R$ 140.270)

  • 17º) Mumbai

    Custo anual: US$ 28.400 (R$ 105.800)

  • 18º) Berlim

    Custo anual: US$ 27.700 (R$ 105.170)

  • 19º) Joanesburgo

    Custo anual: US$ 20.700 (R$ 77.850)

  • 20º) Rio de Janeiro

    Custo anual: US$ 16.500 (R$ 62.053)

1º) Londres

Custo anual: US$ 112.800 (R$ 425.220)

Comentários
Topo