Global Game Changers: 10 nomes que revolucionaram seus negócios

Estes líderes empresariais globais estão transformando setores e vidas ao redor do mundo. Um dos 30 nomes da lista completa – que você poderá conferir na próxima edição da revista FORBES Brasil – é Paulo Cesar de Souza e Silva, CEO da Embraer, o único brasileiro a fazer parte do grupo. O executivo é citado como “pioneiro de um modelo de terceirização hoje amplamente usado, que consiste em pegar peças de empresas como GE e Honeywell e fazer a montagem no Brasil”.

LEIA MAIS: 13 conselhos de grandes líderes para conquistar sucesso na carreira

Para entrarem na nossa lista, os líderes precisam dirigir operações com fins lucrativos que estão crescendo e inovando mais do que as de seus pares. Além disso, as empresas devem ter valor de mercado de, no mínimo, US$ 1 bilhão.

Veja, a seguir, 10 líderes da lista Global Game Changers 2017:

  • James Dyson, 70 anos
    Fundador da Dyson
    Reino Unido
    Eletrodomésticos

    Inventor que desenvolveu um aspirador de pó aprimorado, sem saco, antes de voltar a atenção aos secadores de cabelos, ventiladores e, agora, baterias. Um sucesso recente: um aspirador movido a bateria que levou 17 anos para ser finalizado e teve mais de 1.000 protótipos.

  • Ken Frazier, 62 anos
    CEO da Merck
    Estados Unidos
    Tratamentos para câncer

    Quando Frazier assumiu a Merck, a empresa estava assolada por escândalos e tinha poucas drogas experimentais promissoras. Agora, rivaliza com a Bristol-Myers Squibb numa nova classe de medicamentos para o câncer (inclusive o que salvou Jimmy Carter) que fortalecem o sistema imunológico.

  • Robert Katz, 50 anos
    CEO da Vail
    Estados Unidos
    Resorts de esqui

    Transformou a Vail numa empresa mundial de esqui com novos estabelecimentos, de Vermont à Austrália, e marketing orientado por dados, ao estilo dos cassinos. O passe de temporada com acesso total, ao valor baixo de US$ 859, está esmagando os concorrentes e reduzindo a ciclicidade. Equipados com chips, os passes dos teleféricos coletam dados sobre os esquiadores.

  • Adam Neumann, 38 anos
    Cofundador da WeWork
    Estados Unidos
    Espaço de escritório

    Aluga espaço de co-working com benefícios como salas de jogos eletrônicos e barris de cerveja em 44 cidades ao redor do mundo. “A necessidade de conexão humana é mais importante do que nunca”, explica Neumann, que conta com 100.000 membros.

  • Michael Rapino, 51 anos
    CEO da Live Nation
    Estados Unidos
    Entretenimento

    Rei da música ao vivo. Realizou concertos em 40 países no ano passado e domina a venda de ingressos através da Ticketmaster. Rapino também tomou conta de festivais, entre os quais o Lollapalooza, o Bonnaroo e o Electric Daisy Carnival, e está por trás de grandes turnês, como as do U2, de Madonna e de Jay Z.

  • Mohammed bin Salman, 31 anos
    Segundo Príncipe-Herdeiro
    Arábia Saudita
    Energia

    Está reinicializando a economia da Arábia Saudita ao tomar medidas para desmamá-la do petróleo, inclusive com elevação de impostos, redução de subsídios e corte dos benefícios exagerados dos funcionários públicos. Também está liderando a iniciativa da maior IPO em nível mundial: a da gigante petrolífera estatal Aramco.

  • Paulo Cesar de Souza e Silva, 61 anos
    CEO da Embraer
    Brasil
    Fabricação

    Pioneiro de um modelo de terceirização hoje amplamente usado, que consiste em pegar peças de empresas como GE e Honeywell e fazer a montagem no Brasil. A empresa domina o setor de aviões da região com seus elegantes e espaçosos E-Jets, que são vendidos para 70 companhias aéreas de 50 países.

  • Evan Spiegel, 26 anos
    Cofundador do Snap
    Estados Unidos
    Rede social

    Cativou o mundo com as mensagens de foto e vídeo que desaparecem. O Snap tem 158 milhões de usuários diários ativos que checam o aplicativo 18 vezes por dia, em média. O Instagram e o Facebook o estão copiando. Oferece diversas formas inovadoras de publicidade móvel, como permitir que as marcas patrocinem os filtros.

  • Cheng Wei, 34 anos
    Fundador da Didi Chuxing
    China
    Transporte solidário

    Salvou a China do domínio do Uber ao defender o território da empresa de transporte solidário. “Foi uma batalha épica”, diz Wei, uma versão mais gentil e humilde de Travis Kalanick. A Didi conquistou 300 milhões de usuários em toda a China em quatro anos e acaba de acrescentar US$ 5 bilhões de financiamento a seu orçamento de guerra.

  • Anne Wojcicki, 43 anos
    Cofundadora da 23andMe
    Estados Unidos
    Exames genéticos pessoais

    Quando a Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos ordenou à 23andMe que parasse de comercializar seus exames, pareceu que a empresa já era. Mas Anne Wojcicki trabalhou para levar o produto de volta ao mercado e também para destinar o tesouro de dados genéticos da empresa ao desenvolvimento de medicamentos.

James Dyson, 70 anos
Fundador da Dyson
Reino Unido
Eletrodomésticos

Inventor que desenvolveu um aspirador de pó aprimorado, sem saco, antes de voltar a atenção aos secadores de cabelos, ventiladores e, agora, baterias. Um sucesso recente: um aspirador movido a bateria que levou 17 anos para ser finalizado e teve mais de 1.000 protótipos.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).