Listas

10 melhores e piores mestrados para melhorar no emprego

Um programa de mestrado pode ser uma ótima maneira de mudar de carreira ou de impulsionar o desempenho na trajetória atual. Porém, é importante pensar muito sobre o proveito que se pode tirar de um diploma como esse antes de fazer o investimento, pois alguns programas de mestrado são muito mais valiosos do que outros.

VEJA TAMBÉM: Dicas para fazer um MBA em Nova York

O site de pesquisas sobre salários “PayScale” cria, anualmente, um sofisticado ranking com os melhores e os piores cursos de mestrado a partir de sete fatores: salário no início da carreira (pagamento médio para trabalhadores entre zero e cinco anos de experiência); salário no meio de carreira (profissionais com 10 ou mais anos de experiência); crescimento da remuneração; satisfação no emprego; estresse no trabalho; significado do emprego e projeções do mercado de trabalho feitas pela Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos Estados Unidos. O site pesa esses fatores igualmente para criar uma nota geral para cada diploma.

Ao analisar informações de 145.536 perfis de salário, o “PayScale” criou duas listas que capturam os 45 melhores e piores diplomas. Engenheiros biomédicos ocupam o 1o lugar. Profissionais desse campo “combinam princípios de engenharia com ciências médicas e biológicas para desenhar e criar equipamentos, dispositivos, sistemas de computador e softwares utilizados na área da saúde”, de acordo com a Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos Estados Unidos.

A análise mostra que, no caso dos engenheiros biomédicos, o salário salta de US$ 70.200 por ano no início da carreira para US$ 129.300 depois de dez anos. Esses profissionais também relataram satisfação em seus trabalhos. A Universidade de Boston reporta que alguns ex-alunos de seu programa de mestrado em engenharia biomédica terminaram em empresas como Accenture, Merck, GE Healthcare e Massachusetts General Hospital.

LEIA: 10 universidades mais antigas e prestigiadas do mundo

Na lista dos piores mestrados está o de design gráfico. O pagamento no início e meio de carreira cresce de US$ 51.800 para US$ 68.800, taxa muito menor se comparada ao ranking das áreas com os melhores mestrados. O índice de satisfação também é baixo – apenas 31% dos profissionais dizem estar satisfeitos com seus trabalhos.

Veja, na galeria de fotos, os 10 melhores e os 10 piores cursos de mestrado em relação aos benefícios refletidos no emprego:

  • 10 melhores cursos de mestrado

  • 10º) Matemática aplicada
    Salário no início da carreira: US$ 97,7 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 122,7 mil
    Taxa de crescimento do salário: 76%

  • 9º) Gestão financeira (MBA)
    Salário no início da carreira: US$ 63,4 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 119,2 mil
    Taxa de crescimento do salário: 88%

  • 8º) Estatística
    Salário no início da carreira: US$ 71,7 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 105,5 mil
    Taxa de crescimento do salário: 47%

  • 7º) Gestão de sistemas de informação (MBA)
    Salário no início da carreira: US$ 66 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 117,9 mil
    Taxa de crescimento do salário: 79%

  • 6º) Matemática
    Salário no início da carreira: US$ 63,3 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 109,4 mil
    Taxa de crescimento do salário: 73%

  • 5º) Gestão geral e estratégica
    Salário no início da carreira: US$ 84,8 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 154,4 mil
    Taxa de crescimento do salário: 82%

  • 4º) Finanças corporativas
    Salário no início da carreira: US$ 78,5 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 142,9 mil
    Taxa de crescimento do salário: 82%

  • 3º) Física
    Salário no início da carreira: US$ 68,2 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 124,8 mil
    Taxa de crescimento do salário: 83%

  • 2º) Ciência da computação
    Salário no início da carreira: US$ 86,5 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 125,9 mil
    Taxa de crescimento do salário: 45%

  • 1º) Engenharia biomédica
    Salário no início da carreira: US$ 70,2 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 129,3 mil
    Taxa de crescimento do salário: 84%

  • 10 piores cursos de mestrado

  • 10º) Educação elementar
    Salário no início da carreira: US$ 42,2 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 56,9 mil
    Taxa de crescimento do salário: 35%

  • 9º) História da arte
    Salário no início da carreira: US$ 44,9 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 64,2 mil
    Taxa de crescimento do salário: 43%

  • 8º) Aconselhamento comunitário
    Salário no início da carreira: US$ 40,9 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 51,7 mil
    Taxa de crescimento do salário: 26%

  • 7º) Biblioteconomia
    Salário no início da carreira: US$ 46,8 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 55 mil
    Taxa de crescimento do salário: 17%

  • 6º) Ministério pastoral
    Salário no início da carreira: US$ 46,4 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 55,1 mil
    Taxa de crescimento do salário: 19%

  • 5º) Escrita
    Salário no início da carreira: US$ 45,1 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 61,6 mil
    Taxa de crescimento do salário: 36%

  • 4º) Serviços humanos
    Salário no início da carreira: US$ 39,5 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 46,6 mil
    Taxa de crescimento do salário: 18%

  • 3º) Educação infantil
    Salário no início da carreira: US$ 40,6 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 49,2 mil
    Taxa de crescimento do salário: 21%

  • 2º) Design de interiores
    Salário no início da carreira: US$ 48,4 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 70 mil
    Taxa de crescimento do salário: 45%

  • 1º) Design gráfico
    Salário no início da carreira: US$ 51,8 mil
    Salário no meio da carreira: US$ 68,8 mil
    Taxa de crescimento do salário: 33%

10 melhores cursos de mestrado

Comentários
Topo