Brasil ocupa 82ª posição em ranking de melhores países para mulheres

Para a surpresa do mundo todo, a Arábia Saudita anunciou recentemente o cancelamento da longa proibição de dirigir imposta às mulheres, medida que entrará em vigor a partir de junho de 2018. A lei tem servido como um grande símbolo da opressão contra a mulher ao redor do globo, o que afeta de maneira considerável a reputação da realeza. A situação poderia melhorar ainda mais nos próximos anos se o Príncipe Herdeiro Mohammed bin Salman implementasse mais reformas para retornar ao Islamismo mais moderado. Mas a Arábia Saudita não é a única a tratar as mulheres dessa forma: um novo relatório analisou a situação da população feminina em diferentes países.

LEIA MAIS: UNDER 30 de FORBES Brasil terá indicações online

O estudo “Women, Peace and Security Index” foi lançado pelo Georgetown Institute para o Instituto de Pesquisas de Paz de Oslo (PRIO, da sigla em inglês). O levantamento mede o bem-estar das mulheres ao analisar diversos fatores, como inclusão, justiça e segurança em 153 países, com notas que variam de 0 (pior) a 1 (melhor). A Islândia (0,886) está na liderança do ranking, seguida por Noruega e Suíça. Os Estados Unidos ocupam a 22ª posição e a razão apontada para uma colocação tão baixa é, possivelmente, a falta de licença maternidade remunerada. Além dos norte-americanos, a Papua-Nova Guiné é o único país entre os 153 analisados que também não oferece o benefício às funcionárias. O Brasil ocupa a 82ª posição, com nota de 0,677.

Países instáveis e menos pacíficos tendem a ter notas mais baixas no ranking, com o Afeganistão e a Síria sendo classificados como os piores para mulheres. O Iêmen, que também está envolvido em conflitos, é o terceiro entre os últimos. O Paquistão ocupa o 150º lugar na lista, já que violência doméstica e “mortes por honra” são comuns por lá. A vencedora do Prêmio Nobel Malala Yousafzai é um grande exemplo do quão perigoso o país pode ser para as mulheres: a jovem foi baleada e quase morreu em 2012 por falar publicamente sobre os direitos femininos na educação.

Veja, na galeria de fotos a seguir, 5 melhores – e piores – países para as mulheres:

  • Melhores

  • 5) Espanha – 0,860

  • 4) Eslovênia – 0,861

  • 3) Suíça – 0,871

  • 2) Noruega – 0,879

  • 1) Islândia – 0,886

  • 149) República Centro-Africana – 0,474

  • 150) Paquistão – 0,441

  • 151) Iêmen – 0,407

  • 152) Afeganistão – 0,385 (empate)

  • 152) Síria – 0,385 (empate)

Melhores

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).