Em clima de St. Patrick’s Day, conheça 9 bilionários da Irlanda

O St. Patrick’s Day, comemorado hoje (17) na Irlanda para celebrar a chegada do padroeiro, São Patrício, é um dia em que o país de 5 milhões de habitantes se torna assunto na mídia mundial.

VEJA TAMBÉM: Conheça os 20 maiores bilionários do mundo

Alguns dos cidadãos mais notáveis da Irlanda são seus nove bilionários, que detêm US$ 38,2 bilhões, em um país cujo PIB é de US$ 328,6 bilhões. Dos super ricos irlandeses, três vivem em Dublin, na capital, e cinco são expatriados.

O novato da lista de 2018 é Michael O’Leary, CEO de longa data da companhia aérea de baixo custo Ryanair, conhecido por seu estilo de liderança impetuoso. O executivo tornou o corte de gastos uma arte e transformou sua empresa de um negócio de US$ 85 milhões em uma companhia de US$ 7,1 bilhões em receitas. Ex-contador, O’Leary trabalhou como consultor financeiro para o fundador da companhia aérea, Tony Ryan, antes de entrar na Ryanair, em 1988. Ele assumiu o cargo de CEO seis anos mais tarde.

Conheça, na galeria de fotos abaixo, os 9 bilionários da Irlanda:

  • 7º) Martin Naughton (empate)
    Fortuna: US$ 1 bilhão
    Posição no ranking geral: 2.124º
    Origem: equipamentos de aquecimento

    Martin Naughton é o dono da Glen Dimplex, uma fabricante de eletrodomésticos como máquinas de lavar, secadores de cabelo e aquecedores de ambiente. Enquanto estudante, Naughton passou meses em treinamento de engenharia mecânica e aeronáutica. Ele fundou a Glen Electric em 1973 e começou vendendo radiadores movidos a óleo. Quatro anos mais tarde, adquiriu a empresa de aquecimento britânica Dimplex, renomeando-a para Glen Dimplex. Naughton deixou o cargo de presidente em abril de 2016 e seu filho mais novo, Fergal, assumiu como CEO.

  • 7º) Patrick Collison (empate)
    Fortuna: US$ 1 bilhão
    Posição no ranking geral: 2.124º
    Origem: pagamentos on-line

    Patrick Collison é o confundador e CEO da Stripe, empresa que permite que negócios e indivíduos aceitem pagamentos por meio da internet. Em novembro de 2016, a Stripe fechou uma rodada de investimento de US$ 150 milhões, o que avaliou o negócio em US$ 9,2 bilhões. Ele e seu irmão John tiveram a ideia da Stripe quando os dois estavam na faculdade, em Boston. O primeiro pagamento da empresa foi processado enquanto os irmãos Collison estavam de férias na América do Sul. Alguns investidores da Stripe são Elon Musk e Peter Thiel.

  • 7º) John Collison (empate)
    Fortuna: US$ 1 bilhão
    Posição no ranking geral: 2.124º
    Origem: pagamentos on-line

    John Collison é cofundador e presidente da Stripe.

  • 6º) Michael O’Leary
    Fortuna: US$ 1,1 bilhão
    Posição no ranking geral: 1.999º
    Origem: Ryanair

    Michael O’Leary é o CEO da companhia aérea europeia de baixo custo, sediada em Dublin, na Irlanda. O primeiro emprego de O’Leary foi de contador, na KPMG. Depois, trabalhou como consultor financeiro para o fundador da Ryanair, Tony Ryan, antes de entrar na companhia aérea, em 1988, como diretor-executivo adjunto. Ele se tornou CEO em 1994 e está no cargo desde então. A Ryanair opera mais de 2 mil voos diariamente, em 33 países na Europa, na África e no Oriente Médio.

  • 5º) Dermot Desmond
    Fortuna: US$ 2,3 bilhões
    Posição no ranking geral: 1.070º
    Origem: finanças

    Dermot Desmond começou sua carreira em finanças no Citibank e depois trabalhou para o Investment Bank of Ireland e para a PricewaterhouseCoopers. Em 1981, ele fundou a NCB Stockbrokers, que se tornou a maior agência corretora independente da Irlanda, vendida por US$ 39 milhões, em 1994. Com o lucro, Desmond fundou sua própria empresa de private equity, a International Investment & Underwriting. A IIU hoje tem participações na empresa de software de viagens Datalex, na Mountain Province Diamonds, na Barchester Healthcare e no time de futebol de Glasgow Celtic PLC.

  • 4º) John Dorrance, III
    Fortuna: US$ 2,8 bilhões
    Posição no ranking geral: 859º
    Origem: Campbell Soup

    John Dorrance é um herdeiro da fortuna da Campbell’s Soup: seu avô inventou a fórmula da Campbell para sopa condensada. Seus parentes ainda são os maiores acionistas da empresa, mas ele vendeu sua participação em meados da década de 1990 e migrou para a Irlanda. Sua mudança foi provavelmente programada para evitar impostos sobre ganho de capital. O governo irlandês supostamente deu a Dorrance cidadania quando ele gastou US$ 1,5 milhão no plantio de árvores no país.

  • 3º) Denis O’Brien
    Fortuna: US$ 4,6 bilhões
    Posição no ranking geral: 456º
    Origem: telecomunicação

    Denis O’Brien comanda e detém 94% da Digicel, uma operadora de rede móvel para celulares que opera no Caribe, na Ásia-Pacífico e na América Central. Após o terremoto de 2010 no Haiti, ele financiou a restauração do Mercado de Ferro em Porto Príncipe, e a sua Digicel Foundation construiu 150 escolas. O’Brien teve sua grande chance quando vendeu sua empresa de telefonia, a East Telecom Group, para o British Telecom Group, em 2000, por US$ 2,8 bilhões. Ele tem investimentos em mídia, saúde e nos resorts PGA Catalunya e Quinta do Lago na Península Ibérica.

  • 2º) John Grayken
    Fortuna: US$ 6,6 bilhões
    Posição no ranking geral: 251º
    Origem: private equity

    John Grayken é fundador e proprietário da Lone Star Funds, uma empresa de private equity sediada em Dallas, no Texas, que foca em investimentos imobiliários. Desde 1995, a Grayken levantou 17 fundos e agora administra cerca de US$ 70 bilhões em ativos. Em 2016, ele levantou US$ 11,4 bilhões para dois novos fundos que superaram com facilidade os objetivos de fundraising da empresa. Os ativos que a Lone Star compra são administrados pela Hudson Advisors, uma empresa também com sede em Dallas e da qual Grayken é dono, com 850 funcionários. Grayken é de um subúrbio ao sul de Boston, mas abriu mão de sua cidadania norte-americana por motivos financeiros, na década de 1990, e se tornou cidadão irlandês.

  • 1º) Pallonji Mistry
    Fortuna: US$ 17,8 bilhões
    Posição no ranking geral: 66º
    Origem: construção civil

    O discreto titã Pallonji Mistry controla a gigante de engenharia e construção com base em Bombaim Shapoorji Pallonji Group, em funcionamento há 153 anos. O maior ativo da família é uma participação de 18,4% na Tata Sons, holding do Grupo Tata, um conglomerado de 100 empresas, com receita de US$ 100 bilhões. O S.P. Group, comandado pelo filho mais velho de Mistry, Shapoor, também é dona da Eureka Forbes, a principal marca de purificadores de água do país. O filho mais novo, Cyrus, está envolvido em uma batalha legal com o Tata Group após ele ter sido afastado de repente do cargo de presidente da Tata Sons, em outubro de 2016.

7º) Martin Naughton (empate)
Fortuna: US$ 1 bilhão
Posição no ranking geral: 2.124º
Origem: equipamentos de aquecimento

Martin Naughton é o dono da Glen Dimplex, uma fabricante de eletrodomésticos como máquinas de lavar, secadores de cabelo e aquecedores de ambiente. Enquanto estudante, Naughton passou meses em treinamento de engenharia mecânica e aeronáutica. Ele fundou a Glen Electric em 1973 e começou vendendo radiadores movidos a óleo. Quatro anos mais tarde, adquiriu a empresa de aquecimento britânica Dimplex, renomeando-a para Glen Dimplex. Naughton deixou o cargo de presidente em abril de 2016 e seu filho mais novo, Fergal, assumiu como CEO.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).