Negócios

Como Emily Weiss está reinventando o mercado de beleza

Emily Weiss passou os últimos quatro anos bisbilhotando os armários de medicamentos e de maquiagem de algumas das mulheres mais bem-sucedidas e elegantes do mundo. A partir disto, ela iniciou seu site de beleza “Into The Gloss” em 2010, usando a madrugada para escrever entrevistas de seu projeto paralelo e, em seguida, indo para seu trabalho na Vogue como assistente de moda.

Poucos meses no ar e ficou claro que o “Into The Gloss” – rentável desde o primeiro dia, graças à publicidade e com cerca de 10 milhões de page views – havia se tornado o trabalho em tempo integral de Weiss. Ela deixou o trabalho na Condé Nast depois de sete anos para executar o que se tornou para os fãs de beleza, uma leitura obrigatória.

Ela bisbilhotou dentro dos banheiros e gavetas de mulheres como a supermodel Amber Valletta,Tamara Mellon fundadora da Jimmy Choo e Jenna Lyons, presidente e diretora criativa da J. Crew. Ela conta em seu site tudo sobre os hidratantes e tons de batom, bem como as dicas e truques destas estrelas que vão desde como esconder olheiras até manter a pele hidratada em um avião.

Em seus quatro anos de crescimento no Into The Gloss, Weiss aprendeu não só o que torna certos produtos os queridinhos das pessoas, mas também o que está faltando no mercado – o que desejam, e quais lacunas precisam ser preenchidas nesta indústria de trilhões de dólares que é ainda liderada pela gigante francesa L’Oreal e sua homóloga americana Estée Lauder.

“Ele não mudou nos últimos anos”, diz Weiss sobre o setor de beleza. “Ao invés de cortar o ruído de todas as marcas lá fora, vamos criar uma marca que reflete o que as mulheres querem agora.”

Depois de arrecadar US$ 2 milhões em financiamento de capital de risco em 2013 e crescer sua equipe, Weiss se propôs a criar uma linha de produtos de beleza que não podem faltar, trabalhando em colaboração com um químico com sede na Califórnia. Ela contratou o talento de empresas diversas como o Google e a MAC, além de um COO: Henry Davis, da empresa de capital de risco Index Ventures com sede em Londres.

Em outubro, depois de meses de pesquisas e testes, Weiss e sua equipe lançaram uma marca de beleza para a geração do Instagram: chique sem ser complicado, e com forte presença na mídia social.

Por hora, os produtos da Glossier são vendidos exclusivamente na sua própria plataforma de e-commerce, embora Weiss tenha montado uma loja conceito na Lafayette Street, em Nova York, no Soho para o lançamento da primeira coleção cápsula da empresa, quatro elementos essenciais para a pele vendidos como um conjunto com preço relativamente barato de US$ 80.

“Nós não estamos criando produtos extremamente luxuosos”, conta a empresária. “São coisas que você vai usar no dia a dia”. Agora, seis semanas após o lançamento, Weiss anunciou uma primeira rodada de investimentos de US$ 8,4 milhões liderada pelo jovem empreendedor Josh Kushner da Thrive Capital.

Topo