Negócios

Facebook se renova em cima de novos apps

Aplicativos móveis geralmente medem o sucesso pela forma como seus usuários estão envolvidos. As pessoas estão voltando, pelo menos, uma vez por mês para o seu serviço? Se não, é um problema. No entanto, essa ideia não se aplica ao rei dos aplicativos sociais: Facebook.

Você pensaria que seriam particularmente aqueles com idade inferior a 25 anos que estão acessando cada vez menos a rede social? Eles não estão tão empenhados quanto eram há tempos. Eles estão sendo atraídos por outros aplicativos como o Snapchat, Instagram, WhatsApp e Pinterest.

Os pesquisadores da GlobalWebIndex, responsáveis por realizar algumas das pesquisas mais abrangentes sobre o uso da mídia social, concluíram: em 2013, o usuário médio da Internet tinha 4,7 contas de mídia social. Em 2014, este número subiu para 5,2. Apesar de cerca de 80% dos usuários de internet do mundo (sem contar a China) ter um perfil no Facebook, eles estão se cadastrando em cada vez mais concorrentes a cada ano.

“A cada onda de pesquisas, vemos pessoas usando mais serviços do que antes”, diz Tom Smith, CEO da GlobalWebIndex, que conta os serviços de publicidade do Google Twitter e Yahoo entre os seus clientes. “Quanto mais jovem você for, mais você usa. As pessoas estão mergulhando em mais e mais serviços”.

Isso representa um problema complicado para os anunciantes. Eles têm de direcionar as pessoas através de um número crescente de plataformas com diferentes tipos de conteúdo. Mas isso não é um problema para o Facebook. Atualmente, mais de 12% dos aplicativos e sites mais populares usam o login do Facebook para que seus usuários se cadastrem, de acordo com a Chumbo Ledger, empresa de pesquisas.

“De um ponto de vista publicitário, este menor engajamento com o Facebook não é necessariamente um problema, especialmente agora com a direção que ele está indo”, diz Smith. “Você pode direcionar os usuários do Facebook em todos os aplicativos atuais”.

Topo