Negócios

Grandes empresas devem fazer o IPO em 2015

O ano do ressurgimento do mercado de IPO tem sido marcado por várias tendências, uma delas é a aparição regular de ofertas de grande sucesso. Desde 2010, todos os anos apresentaram pelo menos u negócio que chamou a atenção do mercado, seja por conta de seu tamanho (Alibaba, em 2014), por seus tropeços (Facebook, em 2012) ou por conta de suas circunstâncias (General Motors, em 2010). Pensando no presente, o Über está se tornando um bom candidato para 2015.

“Todos os anos tem havido uma negociação importante”, afirma Paul Bard, diretor de pesquisa na Renaissance Capital, empresa focada em IPO. Há outros candidatos para 2015, além da Über como a Airbnb, Pinterest e Snapchat. Todas elas estão entre as 40 empresas de tecnologia tem valor maior do que US$ 1 bilhão. “Über é o coringa”, afirma Bard.

Se o aplicativo de caronas realmente chegar ao mercado em 2015, ele vai estar no meio de um mercado que está crescendo cada vez mais. Os últimos 12 meses foram os melhores para fechar acordos desde 2000. Veja abaixo algumas das empresas que prometem quando o assunto é IPO.

O Über, por exemplo, pode abrir seu capital em 2015, mas não vai ser por necessidade financeira. A empresa de caronas já levantou US$ 1,8 bilhão em financiamento, incluindo um investimento de US$ 600 milhões do Baidu na China.

Outra aposta para 2015 são as plataformas de empréstimo como, por exemplo, a OnDeck e a Lending Club. Ambos tiveram estreias incríveis, subindo 56% e 40%, respectivamente.

Matt Harris, da Bain Capital Ventures, um investidor da OnDeck, diz que está de olho em cerca de uma dúzia de empresas neste mercado. “Os bancos não podem comprar essas empresas e o mercado de tecnologia não tem mostrado interesse em algo que seria diferente para eles”, diz Harris.

A GoPro, por sua vez, tem mostrado um apetite enorme por consumidores, dobrando seu IPO em junho. Além disso, o emergente relógio da Apple, o Apple Watch, pode estar trazendo o mercado de wearables finalmente para um lugar onde estava sendo desejado há anos.

Uma complicação potencial que Bard aponta, é uma divergência em avaliações do mercado privado e público. Harris, da Bain Capital concorda, chamando 2014 de “ano quase impecável nos mercados privados, mas nada impecável no mercado de IPO”.

A Box é uma empresa que foi pega nessa armadilha, já que o momento da sua apresentação pública em março coincidiu com uma reavaliação de ações de tecnologia. É de se esperar que a empresa de armazenamento em nuvem tente novamente em 2015.

Outras companhias que ficaram afastadas do mercado em 2014, como a empresa de software de marketing online Yodle. Outra, a Good Technology pode ser bastante atraente por conta dos recentes ataques na Sony. A empresa faz aplicação de softwares de segurança para dispositivos móveis.

A Airbnb parece ser perfeita para o IPO de 2015, por conta de sua valorização de US$ 10 bilhões. Em outubro, o Wall Street Journal informou que a empresa estava organizando uma rodada de vendas de ações a empregados que contribuiriam com novos investidores em uma avaliação de US$ 13 bilhões.

Por último, Dilma Rousseff anunciou no dia 22 de dezembro que o governo pretende abrir capital da Caixa Econômica Federal. A intenção inicial é fazer um IPO em, possivelmente, um ano e meio.

 

 

Topo