Negócios

Facebook é a rede social que menos cresceu em 2014

Não há duvidas de que o Facebook é a maior rede social do mundo e provavelmente seguirá assim por algum tempo. Mas a maneira como as pessoas vêm usando a plataforma está mudando: gradualmente, está se tornando um espaço muito mais passivo do que ativo para as interações sociais on-line.

Uma nova pesquisa sobre o assunto mostrou que entre as oito maiores redes sociais, o Facebook foi o único que apresentou uma queda na porcentagem de usuários que ativamente usam o site por mês em 2014. O estudo, organizado pela empresa de pesquisas GlobalWebIndex (GMI),  entrevistou 170.000 pessoas em 32 países para chegar ao números.

Enquanto plataformas como Pinterest e Tumblr apresentaram um aumento de atividades de 97% e 95%, respectivamente, o Facebook viu seus números caírem cerca de 9%. A queda foi ainda mais severa na Ásia, 12%, onde outras  WeChat e Qzone estão dominando o mercado, especialmente na China.

“Isto não quer dizer que o Facebook está sendo abandonado”, explica Jason Mander, diretor de tendências do GWI. “O que acontece é que as pessoas estão usando a rede com menos intensidade do que antes”.

As razões para isso não é uma simples falta de interesse. O aumento da popularidade do Instagram significa que menos fotos são colocadas no Facebook e o uso de aplicativos de mensagens como WhatsApp e Kik mostra que as pessoas estão levando suas conversas para outras plataformas.

Outro motivo simples para a queda do uso do Facebook são os smartphohes. Em telas menores e com tempo limitado, as pessoas apenas navegam por seus feed em vez de ativamente usarem o espaço. “Isto encoraja formas de engajamento mais passivas, apenas para dar uma olhadinha””, diz Mander.

E esta é a razão pelo qual o Facebook não deve estar preocupado com a nova pesquisa: enquanto as pessoas continuarem pela rede social “dando uma olhada”, os anúncios publicitários funcionam e os lucros continuam a chegar aos cofres de Zuckerberg.

Topo