Negócios

CEO tailandês oferece pagar estudos dos filhos de todos os funcionários

Miguel Helt

Reprodução FORBES

Reprodução FORBES

Chieh Huang, CEO da Boxed, um e-commerce de atacado, pagará pela universidade dos filhos de todos os seus funcionários. O tailandês tem origem humilde, mas a família sempre colocou sua educação como prioridade. Assim, Huang se formou em uma universidade e atualmente é presidente executivo de uma empresa que já arrecadou mais de US$ 30 milhões.

O objetivo do projeto é dar a todos os filhos dos empregados a mesma oportunidade que ele teve. “Se você é filho de alguém que trabalha na Boxed, não é o dinheiro que vai lhe impedir de ir à faculdade”, diz Huang. A empresa tem aproximadamente 100 funcionários, quase três quartos deles trabalham em depósitos. De acordo com o CEO, agora são 12 crianças elegíveis ao projeto. Mas esse número deve aumentar, porque a empresa, de apenas dois anos, cresce rapidamente.

A ideia de Huang surgiu quando a Boxed, originalmente instalada em Nova York, abriu uma central de atendimento em Atlanta. Depois da abertura, o CEO convidou os funcionários para um evento de comemoração, mas poucos foram, porque moravam longe e não tinham carro. A primeira possibilidade que ocorreu a Huang foi ajudá-los a comprar um carro. “Mas iss não resolveria muito, a essência do problema é a educação”, explicou.

Como o projeto ainda será colocado em prática, os detalhes não estão totalmente resolvidos, mas Huang já começou a criar uma fundação sem fins lucrativos que será dona de ações da Boxed. “Uma porcentagem de dois dígitos” das ações da empresa, que totalizam US$ 1 milhão, vai para o projeto. O projeto crescerá junto com a empresa, por isso o CEO quer que outros investidores também contribuam para o fundo.

Huang se compromete a pagar os quatro anos de faculdade, mas não outros custos como casa e livros. “Para mim é uma bênção”, afirma Joseh Bobko, vice-presidente da parte de transportes da Boxed. Ele é o primeiro funcionário que planeja entrar no programa. Seu filho, Mark, tem 17 anos e teve de passar por uma cirurgia no último ano. Porém, o seguro não cobriu os custos e o funcionário ficou com uma grande dívida. “Agora eu só preciso me preocupar em pagar a operação”, conta.

Como Mark tem uma pequena bolsa por jogar beisebol e outra acadêmica, Huang pagará aproximadamente US$ 20.000 por ano.

O CEO admite que ainda não pensou nas medidas que tomará para evitar que funcionários abusem do programa. Huang quer evitar que pessoas entrem na empresa antes de seus filhos irem para a faculdade e saiam depois.

Os investidores dizem acreditar que a ideia é coerente com os ideais de Huang. “Ele tem uma ideia muito clara da empresa que quer construir”, opina Jeff Richars, um parceiro da GGV Capital, que financia a Boxed. “Ele sempre foi muito focado em fazer da empresa um lugar único para trabalhar.”

Comentários
Topo