Negócios

Economia norte-americana cai 0,7% no primeiro trimestre de 2015

Samantha Sharf

 

iStock

iStock

A economia norte-americana desacelerou no último trimestre graças à diminuição de algumas contribuições e o crescimento muito pequeno de outros. Ainda não se sabe se o inverno rigoroso foi uma das causas, nem o que os resultados significam para a Reserva Federal.

Na última sexta-feira (29), o governo divulgou a segunda estimativa para o PIB de primeiro trimestre de 2015, analisando janeiro, fevereiro e março. O estudo mostrou que o rendimento dos Estados Unidos caiu 0,7%. O número é ruim em comparação ao último trimestre de 2014, quando o produto interno bruto cresceu 2,2%.

A estimativa dos economistas para a queda era maior, de 0,9%. O governo, por outro lado, era mais otimista e disse que a economia cresceu 0,2% no último mês. Para o instituto que faz o cálculo, BEA, os 0,9% se devem ao enfraquecimento dos investimentos privados e maior número de importações, e elas são subtraídas no cálculo do PIB.

“O PIB parece mas enfraquecido que antes, mas continuamos céticos quanto aos sinais de deterioração”, escreveu Jim O’Sullivan, chefe da área de economia do High Frequency Economics em nota. “O padrão é remanescente do começo de 2014, quando depois de um declínio de 2,1% no primeiro trimestre, o segundo teve um crescimento de 4,6%.” Diversos economistas norte-americanos atribuíram o frio como uma das causas da queda.

Outros fatores estão piorando a situação de 2015. Alguns estados do país foram mais afetados pela neve que normalmente. A alta do dólar em outros países também prejudicou os Estados Unidos, porque a importação ficou mais barata e a exportação mais cara. A queda do preço do petróleo, aliada a pressão no setor de energia são outros fatores para a desaceleração econômica, especialmente porque americanos estão guardando o dinheiro que economizam com combustível.

A crise econômica mundial no quarto trimestre de 2014 refletiu na diminuição das importações, dos investimentos de renda fixa, de gastos pessoas fez com que mais gastos do governo fossem necessários.

Os preços que a população dos Estados Unidos paga diminuíram 1,6%. A comida e a energia são exceções e aumentaram.

A renda interna bruta cresceu 1,4% no primeiro trimestre. De acordo com o economista Stuart Hoffman, esse número indica que a economia não foi tão mal quando o PIB sugere. “A economia deverá voltar ao normal no segundo trimestre, com um crescimento de pelo menos 3%.”

Comentários
Topo