Negócios

Ex-presidente do Google cria startup para financiar jovens empreendedores

Reprodução/ Forbes

Reprodução/ Forbes

No Google, 25 anos é uma idade comum. Esse número pode indicar muitas informações para a empresa, até mesmo ajudá-la a prever quais de seus jovens funcionários estão mais propensos a ter sucesso em determinada função. Porém, fora de lá, os jovens da Geração Y recebem menos confiança, especialmente quando se trata de ter acesso ao crédito e empréstimos.

Várias startups fundadas por jovens passam por essa dificuldade. Dave Girouard, ex-presidente do Google e atual CEO da Upstart, não conseguia entender essa lógica. O veterano, que recentemente deixou a gigante de tecnologia, viu uma oportunidade nessa situação.

“Pessoas no mundo dos empréstimos agem como se não houvesse uma procura por parte dessa geração”, explica Girouard. Sua startup, a Upstart, concede empréstimos de três anos para empresas de jovens da Geração Y. Grande parte dos empréstimos é para refinanciar cartões de crédito, para ajudar os jovens profissionais com uma taxa média de 11% a 12%, diferente da tarifa média de 22% do mercado norte-americano.

Até agora, a Upstart emitiu quase 9.000 financiamentos e coletou 36.000 reembolsos. A empresa emitiu US$ 800 milhões em empréstimos até agora.  “Estes são mutuários de alta qualidade, mas que ainda não possuem um histórico de crédito”, afirmou Girouard.

O perfil de quem faz os empréstimos é caracterizado por pessoas que ganham mais de US$ 100.000 em salário anual e 90% delas têm diplomas de cursos superiores.

Para encontrar os candidatos certos, entretanto, a abordagem da Upstart depende da nova forma de analisar dados. O CEO planeja adicionar vários novos cientistas à sua equipe de cerca de 40 funcionários que trabalham em tempo integral e encontrar um escritório maior. Ele também pretende introduzir novos investidores.

A empresa levantou mais de US$ 7 milhões em investimentos nos últimos anos, mas de uma forma diferente: acordos de renda compartilhada que cobravam dos mutuários uma fração do que eles ganhavam. Cerca de 150 pessoas se inscreveram, mas este era um ritmo muito lento de crescimento para Girouard e os investidores. De acordo com CEO, foi o investidor Josh Kopelman, da First Round Capital, que desempenhou um papel fundamental para ajudá-lo a perceber que a startup precisava de uma mudança. “Nós mudamos de discussões que duravam quatro horas para conversas de 30 segundos com os potenciais a receberem o crédito”, conta Girouard.

A Upstart afirma que suas taxas de inadimplência são de metade das do LendingClub, empresa de empréstimos que veio a público em dezembro de 2014 e tem uma capitalização de cerca de US$ 5,5 bilhões. “O que nós estamos fazendo é apenas arriscar naquilo que os outros não fizeram antes”, diz Girouard. “Os outros dizem que apenas acreditam quando veem. Eles vão ver.” 

Comentários
Topo