Negócios

Brabus acelera no Brasil com a venda de carro mais potente do país

Divulgação

Divulgação

Velocidade e luxo, embora inacessíveis para a maioria, transformaram-se em duas das paixões dos brasileiros, motivo que levou o empresário Julico Simões (neto de Julio Simões, fundador da JSL, ele foi batizado Julio, mas incorporou o nome Julico, como é conhecido no mercado, pela família e em seu cartão de visitas), da Strasse, a iniciar, em abril de 2014, a importação exclusiva da marca Brabus, empresa alemã fundada em 1977 com foco na transformação de Mercedes-Benz em veículos ainda mais exclusivos e potentes.

A companhia é uma “preparadora de carros”, a começar pelo motor. “Os Brabus são muito mais potentes que as Mercedes originais. Eles chegam a até 900 cavalos, enquanto os mais rápidos da Mercedes atingem 630 cavalos. É como andar em uma Ferrari ou Lamborghini no conforto de uma Mercedes”, garante Simões, que lembra ser possível ainda personalizar suspensão, roda, pneu, cor do interior, losango de costura (simples ou duplo), dentre outros pequenos detalhes.

FOTOS: Os melhores carros da saga “James Bond”

Por ano, a Brabus negocia cerca de 10.000 unidades no mundo. Neste mês, a Strasse conseguiu um importante feito que repercutiu na sede da companhia: foi a primeira do mundo a vender o modelo S63 Brabus 760, trata-se de um sedã de quatro portas que chega a 325 km/h (ele foi limitado a essa velocidade, embora esteja capacitado a acelerar até 350 km/h) e custou US$ 655 mil. O modelo de 760 cavalos é, até o momento, o mais potente do país. Até então, o título pertencia à Ferrari F12 Berlinetta de 740 cavalos, hoje à venda no país por R$ 3,5 milhões.

Simões não passa detalhe algum sobre o comprador. Só revela que o modelo foi adquirido na cor preta. Hoje, o perfil do comprador Brabus é composto por homens, de 30 a 60 anos, com idade média de 40 anos. Os veículos, por conta dos modelos atemporais, são comprados para durar décadas.

E MAIS: Bentley e Rolls-Royce lançarão modelos de luxo no Salão de Frankfurt

Para fugir da tributação alta, a maioria dos Brabus é montada no Brasil. As peças e componentes vêm todos da Alemanha. Simões conta que um Brabus custa de R$ 190 mil a US$ 1,6 milhão, em modelos que vão de 177 a 900 cavalos. “Vendemos muitos carros de entrada, mas no Brasil já tem modelo de mais de US$ 500 mil rodando.”
A Strasse também é a importadora exclusiva da alemã Oettinger, uma preparadora que trabalha com Volkswagen. No Brasil, o modelo vendido é o Golf GTI, com preços de R$ 150 mil a R$ 205 mil. A previsão de Simões é comercializar de 12 a 15 unidades em 2015, entre as duas marcas. Os maiores compradores são de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Comentários
Topo