Negócios

Neurocientista de 25 anos cria scanner 3D para sapatos perfeitos

Caroline Walerud, cofundadora da Volumental (reprodução/FORBES)

Caroline Walerud, cofundadora da Volumental (reprodução/FORBES)

Caroline Walerud quer que você se esqueça de seu número de sapato. Por mais que você tenha este dado na cabeça há anos, e sempre diga 34/35, por exemplo, ao vendedor, é provável que esta não seja a medida exata, pois a estrutura anatômica de nossos pés é complexa e as marcas de sapato usam tamanhos inconsistentes.

“Metade das mulheres compram regularmente sapatos que não servem”, diz a jovem de 25 anos. Volumental, a empresa de Caroline, em Estocolmo, pretende solucionar este problema. Desde 2012, a neurocientista formada pela Universidade de Cambridge tem trabalhado ao lado de seus três cofundadores, especialistas em visão computacional, para criar uma tecnologia que use scanner 3D para garantir o tamanho perfeito.

O equipamento da Volumental inclui uma plataforma de alta tecnologia. Tudo o que um comprador de sapatos precisa fazer é ficar em pé sobre ela, então câmeras profundas capturam uma imagem volumétrica em 3D de cada um dos pés. O software da empresa, com tecnologia da Intel e da Microsoft, captura pontos de dados, como o comprimento do arco, que seriam difíceis de medir com precisão usando as ferramentas tradicionais.

A imagem em 3D é instantaneamente exibida em um tablet, o que permite que o vendedor de sapatos faça recomendações para cada cliente. Ele será capaz de dizer ao comprador qual sapato em seu estoque existente irá servir. A primeira grande parceria da Volumental nos Estados Unidos, com a rede Nordstrom, foi anunciada na última segunda-feira (18).

LEIA TAMBÉM: O empreendedor que largou tudo para criar duas startups e app de namoro

A empresa já tem scanners em operação no Japão, onde eles são usados para desenvolver um app com recomendações de sapatos. A tecnologia da Volumental também está sendo usada para criar sapatos personalizados, com a marca sueca Falchenberg e a alemã Scarosso criando sapatos de couro italiano customizados com base em imagens em 3D.

Caroline arrecadou cerca de US$ 5 milhões até agora, incluindo suporte de empresas de capital de risco e do governo sueco.

Enquanto espalha sua tecnologia pelos Estados Unidos, a Volumental está, simultaneamente, crescendo seu segundo negócio: scanner de face para óticas e marcas de óculos. Os scanners da empresa oferecem uma topografia em 3D precisa do rosto com o objetivo de garantir que os óculos caibam perfeitamente. A ótica é capaz de fazer micro-ajustes com base em medidas de lente ou do nariz, por exemplo, e mostrar ao cliente o resultado final em um dos tablets da Volumental em tempo real. A Volumental fez uma parceria com a alemã Mykita, que vende óculos de grau e de sol em mais de 80 países.

Caroline recebeu diversos tipos de prêmios desde que cofundou a empresa. Ela foi nomeada “#1 Supertalento do Ano” pela revista de negócios sueca Veckans Affärer em 2013, aos 23 anos. Vencedores anteriores incluem o fundador bilionário do Spotify Daniel Ek.

LISTA: 8 lições de empreendedorismo que você não aprende na escola

Antes da Volumental, Caroline trabalhou brevemente em uma startup de análise de imagens de satélite. Porém, ela diz que o empreendedorismo surgiu muito antes em sua vida. Durante os verões da sua adolescência, ela assava e vendia pão caseiro na área de resort de Kungshamn. “Isso me ensinou os fundamentos dos negócios: estratégia de preços, segmentação de clientes e gestão de fluxo de caixa”, ela pontua em seu perfil no LikedIn.

Comentários
Topo