Negócios

Espanhola lidera as operações de Iberia e British Airways no Brasil

Marta Oquillas (Letícia Moreira)

Marta Sánchez (Letícia Moreira)

Ela cresceu, literalmente, nos corredores do aeroporto de Madri. Com o pai e a mãe trabalhando nesse ambiente, a mente da espanhola Marta Sánchez, hoje com 39 anos, voava alto. Na infância, sonhava em ser astronauta. Mais velha, optou por estudar economia. A vida, no entanto, colocou uma companhia aérea em seu caminho. De estagiária na Iberia, chegou a responsável pelas vendas da organização na América Latina. As oportunidades crescentes do Brasil, mercado-chave para a aérea, e a vontade da executiva em trilhar uma carreira internacional a levaram para São Paulo em janeiro de 2014. Hoje, Marta é a country manager da Iberia e da British Airways para o Brasil e a Bolívia.

VEJA TAMBÉM: Os próximos desafios de Maurício Rolim Amaro e da LATAM

Os primeiros três meses antes de assumir a operação brasileira foram de muita preparação no país e de inúmeros pousos e decolagens. Com marido e dois filhos (hoje com 5 e 7 anos) morando em Madri, Marta deixava São Paulo na sexta-feira e retornava no domingo. Cerca de 22 horas de voos semanais, entre ida e volta, para cuidar da família sem abrir mão do sonho profissional. “Vir para cá, uma prioridade para a companhia, em um importante momento de transformação iniciado em 2011 [após a fusão das duas marcas], é uma grande oportunidade profissional”, conta.

Contabilizando os voos que partem de São Paulo e do Rio de Janeiro para Madri e Londres, a Iberia/British Airways tem cerca de 38 saídas semanais do Brasil para a Europa, em aeronaves Airbus (Iberia) e Boeing (British). “Somos a companhia aérea mais pontual do mundo dos últimos 12 meses”, afirma Marta, ao citar o ranking da empresa nova-iorquina FlightStats, especializada em dados sobre passageiros.

Sua missão, agora, é consolidar o negócio — que passa por uma série de mudanças. O foco é aumentar a qualidade nos serviços da Iberia.

A frota da marca espanhola vivencia uma fase de renovação com a compra ou o retrofit de aeronaves. O logo, modificado há dois anos depois de mais de 45 anos sem mudanças, começa a chamar atenção somente agora, por conta da adesivagem gradual dos aviões. O embarque/desembarque de São Paulo migrou do terminal 1 para o 3 (novo). A business class ganhou poltronas que garantem privacidade e pratos elaborados por chefs estrelados pelo Guia Michelin. Já a classe econômica recebeu mais espaço para as pernas e telas individuais sensíveis ao toque. A bordo, o serviço de wi-fi é oferecido em toda aeronave.

NÃO PERCA: 20 reclamações mais frequentes dos passageiros durante os voos

Todas essas mudanças na Iberia culminaram na criação da campanha batizada de Hola/Olá, a primeira que a empresa patrocina desde que começou a operar no Brasil, em 1950. “Estamos oferecendo o melhor produto que os clientes podem conseguir”, diz Marta.

Com uma equipe multicultural, ela brinca que o idioma do escritório é o “portuespanglês”, dado o fato de ter gente que fala português, espanhol e inglês. “A equipe, cada vez mais integrada, não é mais o que era a Iberia ou a British Airways individualmente. Somos uma terceira organização absolutamente aberta, com quase 300 funcionários que atuam de forma integrada e com muitos objetivos.”

Comentários
Topo