Negócios

Como o genro de Putin se tornou o bilionário mais jovem da Rússia

kirill

Getty Images

O empresário russo Kirill Shamalov, que acaba de completar 34 anos, é um dos bilionários mais jovens do mundo. Em um intervalo de três anos, ele acumulou uma fortuna estimada em US$ 1,3 bilhão, garantindo um lugar na Lista dos Bilionários de FORBES. O principal fator para este crescimento acelerado é sua conexão com muitas oligarquias russas – e, em especial, com o presidente, Vladimir Putin.

Shamalov, nascido em São Petesburgo, é o filho mais novo de Nikolai Shamalov, amigo de longa data de Putin. Alguns dizem que os dois se conheceram durante os anos 1980, por meio da KGB, a agência de segurança soviética. Outros, no entanto, alegam que eles se conheceram na década seguinte, quando Shamalov distribuía equipamentos médicos da alemã Siemens no país.

RANKING: 70 maiores bilionários do mundo em 2016

Em 1996, Shamalov pai, Putin e outros seis conhecidos fundaram a “Ozero”, uma cooperativa de férias perto de São Petesburgo. Todos os membros acabaram ocupando alguma posição no governo russo ou em empresas estatais. Em 2004, Nikolai se tornou acionista do banco Rossiya, um grande estabelecimento russo do qual Putin era cliente.

Kirill Shamalov começou a tomar proveito de suas conexões familiares em 2002, quando estudava Direito na Universidade de São Petesburgo. Aos 20 anos, ele foi nomeado conselheiro-chefe das atividades jurídicas no exterior na Gazprom, uma gigante estatal de gás natural na Rússia. Um ano depois de se formar, em 2004, ele se tornou o conselheiro-chefe de todo o departamento jurídico do Gazprombank, um dos maiores bancos do país. Shamalov trabalhou, mais tarde, em um departamento regional da Rosoboronexport, uma agência de importação e exportação de equipamentos de defesa, vigiada de perto por Putin. Ele foi também consultor no Ministério de Finanças nas áreas de propriedade estatal, privatização e reformas estatais.

MAIS RANKING: 10 países mais ricos em petróleo do mundo

Em junho de 2008, então com 26 anos, Shamalov se tornou o vice-presidente administrativo da companhia petroquímica Sibur, posição que o fez rico. Entre 2011 e 2013, Shamalov adquiriu 4,3% das ações da Sibur por meio de um programa de investimentos para gerentes.

As portas para a riqueza se abriram plenamente em fevereiro de 2013, quando ele se casou com a filha de Putin, a acadêmica Katerina Tikhonova, em um cerimônia secreta. A agência de notícias “Reuters” noticiou em dezembro de 2015 que o casamento aconteceu em um resort de esqui chamado “Igor”, não muito longe da cooperativa “Ozera”. O casal chegou em uma carruagem puxada por três cavalos brancos. Os cerca de 100 convidados foram requisitados a desligar seus aparelhos de celular durante toda a celebração, de acordo com alguns relatos. As festividades aparentemente também tiveram patinação no gelo e um show de laser com os nomes do casal.

VEJA MAIS: Como os bilionários ficam ricos: quais indústrias mais geram megafortunas

Um ano após o casamento, Shamalov comprou 17% da Sibur de outro amigo de Putin, Gennady Timchenko, depois de tomar um empréstimo do Gazprombank. Uma pessoa próxima disse a FORBES Rússia que a ação valorizou a companhia em US$ 10 bilhões, informação confirmada por Shamalov na imprensa russa.

Por conta de suas relações próximas a Putin, Timchenko e Shamalov pai foram submetidos às sanções do ocidente depois que a Rússia anexou a Crimeia a seu território. De acordo com Kirill Shamalov, as vendas da petroquímica não tiveram nenhuma relação com as sanções.

Depois da compra, Shamalov se tornou o segundo maior acionista da Sibur, com 21% das ações da companhia. Em dezembro de 2015, a estatal chinesa Sinpec comprou 10% das ações da Sibur por US$ 1,3 bilhão. Shamalov teria vendido menos de 1% de suas ações no negócio.

As ações da Sibur são a maior parte da fortuna do empresário, a qual a FORBES estima ser mais de US$ 1,3 bilhão. O representante de Shamalov se recusou a confirmar o número.

E AINDA: Em 10 anos, posto de mais rico da Rússia já foi de 7 bilionários diferentes

O empresário é também dono de 5% da Companhia Russa de Cimento, na qual ele investe desde março de 2014. O único recurso da companhia é uma porcentagem de 50,5% das ações da Angarsk Cimentos, valor estimado em menos de US$ 2 milhões.

Em março de 2014, Shamalov ajudou Denis Nikienko a fundar uma firma de investimos chamada DPT Invest, juntamente com um colega da Sibur, Sergey Kotlyarenko, um advogado que cuidou dos recursos do primeiro-ministro, Igor Shuvalov. Em outubro de 2014, a companhia comprou 50% da Eighty Service, um grupo de consultoria cujos clientes são numerosos membros do governo e empresas estatais.

Em março de 2015, Shamalov anunciou que sairia de sua posição na administração da Sibur para focar em outros negócios, mas que continuaria a ser da diretoria. Ele também fundou a Ladoga Management, cujos planos são investir na indústria de TI, engenharia e processo de polímeros.

Comentários
Topo