Para Bradesco, inadimplência só cai a partir de 2018

Getty Images
Getty Images

A recessão em curso no país deve fazer o índice de inadimplência do Bradesco continuar subindo até o fim do ano, antes de experimentar uma estabilização em 2017 e só passar a cair no ano seguinte, disse nesta quinta-feira (28) um executivo do banco.

RANKING: 31 maiores bilionários brasileiros

“Podemos verificar algum aumento (da inadimplência) nos próximos trimestres, mas em menor ritmo do que até agora”, disse o diretor de relações com investidores do Bradesco, Luiz Carlos Angelotti, em teleconferência com jornalistas. “Pode ter uma estabilização no ano que vem e queda em 2018”.

VEJA TAMBÉM: É golpe ou não é? Como o mundo vê o impeachment de Dilma

O banco divulgou mais cedo que seu lucro líquido do primeiro trimestre caiu levemente na comparação anual, devido em parte a um salto nas despesas com provisões para calotes, após o índice de inadimplência acima de 90 dias ter atingido 4,2%, o pico em quase quatro anos.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).