Negócios

Por trás da indústria de emojis de celebridades

Reprodução

Reprodução

De acordo com uma pesquisa da agência eMarketer, em 2015, 6 bilhões de emojis eram enviados diariamente através das redes sociais. Já em março deste ano, a companhia de marketing Appboy calculou que o uso dos ícones em mensagens cresce 20% a cada mês desde o início de 2016.

Para aderir ao fenômeno, celebridades e artistas têm, cada vez mais, lançado seus próprios emojis em parceria com lojas digitais como Moji Keyboard, Emoji Frame e Imoji.

VEJA MAIS: As mulheres mais ricas de 2016 que construíram a própria fortuna

O aplicativo Kimoji, de Kim Kardashian, foi o mais vendido da App Store no dia seguinte ao seu lançamento, em dezembro de 2015.

Oliver Camilo, fundador e CEO da Moji, criou pacotes de ícones para artistas como Wiz Khalifa, Rick Ross e DJ Snake. “Assim como todo mundo precisa da sua própria conta no Facebook e no Instagram, em algum momento todo mundo precisará de seus próprios emojis”, conta.

Em 2015, os aplicativos pagos para criação das imagens ocuparam o topo da lista dos mais baixados. Os artistas podem escolher pacotes prontos ou personalizar os ícones, como conta Gavin Rhodes, cofundador da Emoji Fame. “Podemos criar emojis especiais para tours, lançamento de álbuns, singles e qualquer outro evento que os artistas quiserem.”

E AINDA: 30 celebridades brasileiras mais seguidas nas redes sociais

O resultado para os artistas, além de uma maneira divertida de fazer publicidade e da oportunidade de alcançar um bilhão de usuários do Whastapp, é possibilitar uma nova maneira para os fãs se conectarem aos seus artistas favoritos.

Comentários
Topo