Negócios

Rússia e China planejam parceria para exploração espacial

Getty Images

Getty Images

Os governos da Rússia e da China estão discutindo a possibilidade de uma viagem conjunta à Lua e a Marte, como informou o vice-primeiro-ministro russo, Dmitry Rogozin, na última quarta-feira (13).

“Ontem, trabalhamos por três horas e meia, discutindo sobre possíveis parcerias em acordos nucleares e em uma colaboração entre nossas agências espaciais”, revelou o político. “Temos grandes projetos de motores de foguetes e sistemas de navegação para juntar.”

VEJA MAIS: Segunda etapa de missão de Europa e Rússia para Marte é adiada para 2020

Rogozin discursou para empresários e governantes de províncias chinesas e russas durante a feira industrial Innoprom-2016, em Yekaterinburg, na Rússia. De acordo com ele, os dois países têm potencial para desenvolver projetos complexos de exploração espacial.

O comentário do político veio menos de um mês depois da visita do presidente russo Vladimir Putin à China. Durante o encontro, a possível parceria espacial também foi discutida.

E AINDA: 6 pequenas empresas líderes no Brasil

O embaixador russo na China, Andrey Denisov, confirmou que os dois países conversam sobre os termos dessa cooperação, “totalmente pacífica”.

Só no último ano, a China enviou 19 naves para exploração espacial. Para 2016, são planejadas 20. No início do mês, a agência estatal de notícias Xinhua afirmou que o satélite Tiangong 2 está sendo preparado, no deserto de Gobi, para seu lançamento, que deve acontecer em meados de setembro.

LISTA: American dream: 25 bilionários estrangeiros que fizeram fortuna nos EUA

O primeiro módulo do equipamento foi lançado em 2011 e recebeu astronautas chineses em 2012 e 2013.

Comentários
Topo